Foto: Kimio Okuno. | Photo: Kimio Okuno.

Na última semana de novembro, o Hotel Rio Othon Palace, em Copacabana, Rio de Janeiro, recebeu a premiação do Concurso Cultural Coreano para estudantes universitários, uma realização da Embaixada da República da Coreia, com o apoio da empresa AsiaColors. Na ocasião, o ministro sul-coreano Kwon Young Seup aproveitou para convidar os presentes a participarem dos diversos eventos a serem promovidos pelo governo sul-coreano ano que vem, em razão da comemoração do 60° Aniversário do estabelecimento das Relações Diplomáticas entre Brasil e Coreia do Sul.

In the last week of November, the Rio Othon Palace Hotel in Copacabana, Rio de Janeiro, hosted the Korean Cultural Contest for university students, promoted by the Embassy of the Republic of Korea, and supported by AsiaColors. South Korean Minister Kwon Young Seup took the opportunity to invite the participants to attend the various events to be promoted by the South Korean government next year, due to the 60th Anniversary of the establishment of Diplomatic Relations between Brazil and Korea.

“Atrações culturais, políticas e econômicas serão realizadas em 2019. Será uma oportunidade para os dois países fortalecerem sua histórica parceria. Em especial, em breve, o acordo de intercâmbio de estudantes deve entrar em vigor. Esta medida vai possibilitar que jovens brasileiros possam passar as férias na Coreia e também terem uma experiência de trabalho no país. Tenho certeza que com este acordo vamos atingir nosso objetivo de aumentar o intercâmbio de jovens entre as duas nações”, disse o ministro, que juntamente com o Segundo Secretário Kang Kiseok Michael parabenizou e entregou prêmios aos participantes do concurso.

 

“Cultural, political and economic attractions will be held in 2019. It will be an opportunity for both countries to strengthen their historic partnership. In particular, the student exchange agreement should come into force shortly. This measure will allow young Brazilians to spend their holidays in Korea and also have a work experience in the country. I am sure that with this agreement we will achieve our goal of increasing youth exchanges between the two nations,” said the Minister, who along with Second Secretary Michael Kang Kiseok congratulated and handed out awards to contestants.

O ministro sul-coreano Kwon Young Seup (de pé) e o Segundo Secretário Kang Kiseok Michael. Foto: Kimio Okuno.
O ministro sul-coreano Kwon Young Seup (de pé) e o Segundo Secretário Kang Kiseok Michael. Foto: Kimio Okuno. | South Korean Minister Kwon Young Seup (standing) and Second Secretary Kang Kiseok Michael. Photo: Kimio Okuno.

O evento ainda impulsionou os participantes a testarem suas habilidades audiovisuais na formulação de vídeos de até três minutos de duração, que explicassem ao público temas relacionados à cultura coreana: culinária, Hanbok (vestimenta tradicional da Coreia), Taekwondo, ou Pansori. Desta forma, três categorias foram estabelecidas: textos opinativos, vídeos criativos e produção de texto. Os três primeiros lugares de cada segmento receberam as seguintes quantias em dinheiro: 1° lugar R$ 1.000,00, 2° lugar R$ 700,00 e 3° lugar 500,00.

The event also encouraged participants to test their audio-visual skills in the formulation of up to three-minute videos that explained to the public themes related to Korean culture: cuisine, Hanbok (traditional Korean dress), Taekwondo, or Pansori. In this way, three categories were established: opinion texts, creative videos and text production. The first three places in each segment received the following amounts in cash: 1st place R$ 1,000.00, 2nd place R$ 700.00 and 3rd place R$ 500.00.

Segundo a diretora executiva da AsiaColors Marcelle Torres, o concurso foi realizado em outubro e novembro deste ano, através de um edital publicado pelo site da embaixada. A também pesquisadora em península coreana explicou que foram recebidas 39 inscrições válidas, em que foi possível observar a criatividade, qualidade nas pesquisas, dedicação e compromisso dos inscritos para com a proposta do concurso. Tais características também foram salientadas por Kwon Young Seup: “vejo o quão estão engajados e interessados na cultura coreana. Recebemos peças originais, analíticas e bastante úteis para entendermos como os brasileiros vêm a Coreia e agradeço por isso”, ressaltou o ministro.

According to the executive director of AsiaColors Marcelle Torres, the contest was held in October and November this year, through a public edict published by the embassy website. The researcher on the Korean Peninsula explained that 39 valid registrations were received, in which it was possible to observe the creativity, quality in the researches, dedication and commitment of the enrolled ones with the proposal of the contest. These characteristics were also emphasized by Kwon Young Seup: “I see how (Brazilians) are engaged and interested in Korean culture. We received original pieces, analytical and very useful to understand how the Brazilians come to Korea and thank for that, “said the Minister.

A diretora executiva da AsiaColors Marcelle Torres conduziu a cerimônia de premiações.. Foto: Kimio Okuno.
A diretora executiva da AsiaColors Marcelle Torres conduziu a cerimônia de premiações. Foto: Kimio Okuno. | AsiaColors Executive Director Marcelle Torres hosted the awards ceremony. Photo: Kimio Okuno.

Antes da premiação iniciar, foi exibido como parte da programação, o filme “Run Off”, também intitulado “Take Off 2”, lançado em 2016 e dirigido por Jong-hyun Kim. A produção é baseada em fatos reais e conta a história da formação do primeiro time feminino de Hóquei no gelo da Coreia do Sul. O enredo tem como pano de fundo o empoderamento da mulher e a questão da reunificação das duas Coreias, já que uma das personagens, a principal jogadora do time, é a norte-coreana Lee Ji-Won (interpretada por Soo-Ae), que veio para a Coreia do Sul, mas acabou deixando para trás a irmã Lee Ji-Hye (vivida por Park So-Dam). Elas eventualmente se encontram nos Jogos Asiáticos de Inverno, realizados em Aomori no Japão em 2003.

Before the awards began, the film “Run Off”, also titled “Take Off 2”, was released as part of the program, released in 2016 and directed by Jong-hyun Kim. The production is based on real events and tells the story of the formation of the first South Korean women’s ice hockey team. The plot has as background the empowerment of the woman and the question of the reunification of the two Koreas, since one of the characters, the main player of the team, is the North Korean Lee Ji-Won (interpreted by Soo-Ae), who came to South Korea, but eventually left behind sister Lee Ji-Hye (experienced by Park So-Dam). They eventually meet at the Asian Winter Games held in Aomori in Japan in 2003.

O filme “Run Off”, também intitulado “Take Off 2”, lançado em 2016 e dirigido por Jong-hyun Kim abriu a programação do evento. Foto: Sivibi Points of View Spov - WordPress.com
O filme “Run Off”, também intitulado “Take Off 2”, lançado em 2016 e dirigido por Jong-hyun Kim abriu a programação do evento. Foto: Sivibi Points of View Spov – WordPress.com | The film “RunOff”, also titled “Take Off 2”, released in 2016 and directed by Jong-hyun Kim opened the schedule of the event. Photo: Sivibi Points of View Spov -WordPress.com

Após a projeção cinematográfica, os prêmios da categoria texto opinativo foram entregues à Juliana Perazzi de Sá (3° lugar), Beatriz Mulan Rosalino (2° lugar) e Akemi Barbosa de Novaes (1° lugar). A segunda categoria “Vídeo criativo” abordou questões culturais da Coreia. O tema mais abordado foi a culinária que, de acordo com os vencedores, trata-se de um aspecto marcante para a sociedade coreana, pois envolve mais que alimentos e sabores. É também um momento coletivo que pode ser caracterizado como um ato de respeito, de afeto e cuidado. No terceiro lugar houve um empate entre Jéssica Regina Peixoto e Bruna Reis Travasso; já o segundo lugar foi para Giullie Christinne Fernandes Lima Pereira e o primeiro para Talita da Silva Oliveira Costa.

After the cinematographic projection, the awards of the opinative text category were awarded to Juliana Perazzi de S· (3rd place), Beatriz Mulan Rosalino (2nd place) and Akemi Barbosa de Novaes (1st place). The second category “Creative Video” addressed Korean cultural issues. The most discussed theme was the cuisine that, according to the winners, it is a significant aspect of Korean society, as it encompasses more than food and flavors. It is also a collective moment that can be characterized as an act of respect, affection and care. In the third place there was a tie between Jessica Regina Peixoto and Bruna Reis Travasso; the second place went to Giullie Christinne Fernandes Lima Pereira and the first to Talita da Silva Oliveira Costa.

A terceira e última categoria a ser premiada foi “Produção de Texto”. O tema norteador para a dissertação foi a relação entre Coreia do Sul e Coreia do Norte. Leticia Luciano de Aroucha ganhou o terceiro lugar com o texto “A importância dos encontros de Kim Jong-un e Moon Jae-in; Beatriz Fernandez de Oliveira ficou em segundo, com a redação “Comércio, cultura e paz”; e, finalmente, em primeiro lugar, Victor Mignone com a produção textual de título “A aproximação entre Coreia do Sul e Coreia do Norte e o que esta representa para o Brasil”.

The third and final category to be awarded was “Production of Text”. The guiding theme for the dissertation was the relationship between South Korea and North Korea. Leticia Luciano de Aroucha won the third place with the text “The importance of the meetings of Kim Jong-un and Moon Jae-in”; Beatriz Fernandez de Oliveira was in second place, with the words “Commerce, culture and peace”; and finally, in the first place, Victor Mignone with the textual production titled  “The approach between South Korea and North Korea and what it represents for Brazil”.

Foto: Kimio Okuno.
Foto: Kimio Okuno. | Photo: Kimio Okuno.

No evento ainda ocorreu um sorteio de bolsa de 50% do Instituto Nam Ho Lee, escola de estudos coreanos, que fica no bairro do Cachambi, na zona norte da capital carioca, sorteada para o participante Henrique de Almeida Ferreira; e para o encerramento, um jantar foi oferecido aos presentes. Durante o final das atividades, foi possível ao Koreapost conversar com algumas ganhadoras do concurso e convidados. Em grande medida, o Kpop (grupos de música pop) e o K-Dramas (novelas coreanas) continua sendo a porta de entrada para a maioria dos estudantes que se interessam pela cultura coreana. Tal condição, ao longo do tempo, acaba por levar a uma ampliação da curiosidade e interesse dos amantes da Coreia a outras áreas e temas vinculados à política, à economia e à cultura.

In the event there was also a 50% scholarship draw from the Nam Ho Lee Institute, a Korean study school, located in the Cachambi neighborhood, in the northern part of the capital of Rio de Janeiro, drawn for the participant Henrique de Almeida Ferreira; and for the closing, a dinner was offered to the participants. During the end of the activities, it was possible for Koreapost to chat with some of the contest winners and guests. Largely, Kpop (pop music groups) and K-Dramas (Korean novels) continue to be the gateway for most students who are interested in Korean culture. Such a condition, over time, eventually leads to an increase in Korean lovers’ curiosity and interest in other areas and themes linked to politics, economics and culture.

Akemi Barbosa de Novaes, por exemplo, tem 21 anos e é estudante de direito na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Descendente de japoneses, sempre acompanhou o mundo da indústria cultural japonesa. Ela teve seu primeiro contato com a cultura coreana através da série “To the Beautiful You”, dirigida por Jeon Ki-sang e baseada no manga Hisaya Nakajo, “For You in Full Blossom”. Desde então tem aprofundado seus conhecimentos em outras questões e hoje almeja especializar-se na área do direito que versa sobre propriedade industrial e também o que concerne à área de direito autoral. “Gosto muito de como a Coreia lida com estes temas. Quem baixa música ilegalmente por lá, por exemplo, é punido”, explica Novaes.

Akemi Barbosa de Novaes, for example, is a 21-year-old law student at the State University of Rio de Janeiro (UERJ). A Japanese descendant, she has always followed the world of Japanese cultural industry. She had her first contact with Korean culture through the series “To the Beautiful You”, directed by Jeon Ki-sang and based on the manga Hisaya Nakajo, “For You in Full Blossom”. Since then she has deepened her knowledge in other matters and today aims to specialize in the area of law that deals with industrial property and that also concerns copyright. “I really like how Korea deals with these issues. Those who illegally download music there, for example, are punished”, explains Novaes.

Contudo, existem aqueles que almejam transformar sua paixão cultural pela Coreia em uma carreira no mundo da arte. Beatriz Pollo, de 18 anos, quer ir para o país asiático, no intuito de tornar-se uma produtora de “music videos”, estudando e produzindo vídeos no mercado de Kpop. Para ela a melodia e os temas mais bem elaborados a fizeram apreciar o estilo único de fazer arte da indústria musical sul-coreana.

However, there are those who seek to transform their cultural passion for Korea into a career in the art world. Beatriz Pollo, 18, wants to go to the Asian country, in order to become a “music video” producer, studying and producing videos in the Kpop market. For her, the melody and the more elaborate themes made her appreciate the unique style of making art from the South Korean music industry.

Foto: Kimio Okuno.
Foto: Kimio Okuno. | Photo: Kimio Okuno.

Já a vencedora do concurso Jessica Peixoto, 27 anos, estudante de jornalismo na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pesquisa a onda Hallyu (coreana) e relação entre Brasil e Coreia. Ela planeja fazer mestrado no país e tem o objetivo de impulsionar um projeto pessoal: uma revista especializada em cultura pop coreana. Para ela, há muito espaço fornecido a grupos musicais já conhecidos, limitando espaço para os mais novos. “Os grupos de Kpop coreanos têm uma grande influência das antigas “boybands” norte-americanas, mas souberam adaptar e, assim, criar algo novo. A preparação completa dos artistas e a qualidade da arte fazem a diferença”, relata Peixoto.

Contest winner Jessica Peixoto, 27, a journalism student at the Federal University of Rio de Janeiro (UFRJ), researches the Hallyu (Korean) wave  and the relationship between Brazil and Korea. She plans apply for a master degree in the country and aims to boost a personal project: a magazine specializing in Korean pop culture. For her, there is plenty of space provided to already known musical groups, limiting space for the younger ones. “Korean Kpop groups have a great deal of inbuilt American boybands, but they have been able to adapt and thus create something new. The complete preparation of the artists and the quality of the art make the difference “, describes Peixoto.

O concurso ainda pôde contar com a participação de entusiastas como Vania Velloso Pereira Neto, arquiteta e filósofa, que trabalhou por anos na Vale do Rio do Doce. Grande conhecedora da cultura brasileira, ela busca agora expandir sua compreensão e conhecimento sobre a cultura coreana, em razão da produção de um livro de ficção. Especificamente, tem muito interesse pela Ilha de Jeju e pela zona desmilitarizada (DMZ, sigla em inglês), que acolhe um parque, onde é resguardada uma das maiores diversidades em vida selvagem no mundo. O parque é cuidado por ambas as Coreias.

The competition was still able to count on the participation of enthusiasts like Vania Velloso Pereira Neto, architect and philosopher, who worked for years in Vale (widely known as Companhia Vale do Rio Doce). A great connoisseur of Brazilian culture, she now seeks to expand her understanding and knowledge of Korean culture, due to the production of a fiction book. Specifically, it has much interest in Jeju Island and the demilitarized zone (DMZ, acronym in English), which houses a park where it is sheltered one of the greatest diversities of wildlife in the world. The park is watched over by both Koreas.

Segundo o jornal português “O Público”, em reportagem de Claudia Carvalho Silva, publicada em fevereiro deste ano, no interior da DMZ, ao longo da faixa que se estende por 250 quilômetros de comprimento e quatro quilômetros de largura, habitam milhares de espécies de animais que, em centenas de casos, estão ameaçadas em outras regiões do mundo.

According to the Portuguese newspaper “O Público”, in a report by Claudia Carvalho Silva, published in February this year, animal species that, in hundreds of cases, are threatened in other regions of the world, inhabit inside the DMZ, along the 250 km long and 4 km wide strip.

A jornalista, citando nota da “Smithsonian Magazine”, informa que a biodiversidade e os níveis baixos de poluição na localidade permitem tal condição. De acordo com Silva, uma das espécies residentes na fronteira mais fortificada do mundo é o grou-da-manchúria, ave seriamente ameaçada (estima-se que existam menos de 3000 por todo o mundo). Ela convive com os grous-de-pescoço-branco (Grus vipio). Estas aves são vistas como um símbolo de paz na Península Coreana. “É curioso que tal espaço, um dos mais armados, conflituosos e tensos do mundo, abrigue esta espécie de oásis de paz e de resguardo pela vida. Creio ser uma perspectiva norteadora para um futuro mais construtivo e positivo para as Coreias e o mundo”, conclui a arquiteta Velloso.

The journalist, citing a note from Smithsonian Magazine, reports that biodiversity and low levels of pollution in the locality allow such a condition. According to Silva, one of the species living in the most fortified border of the world is the manchuria crane, a seriously threatened bird (it is estimated that there are less than 3,000 worldwide). It coexists with the white-necked cranes (Grus vipio). These birds are seen as a symbol of peace on the Korean Peninsula. “It is curious that this space, one of the most armed, conflicted and tense in the world, shelters this kind of peaceful oasis and life shelter. I believe it is a guiding perspective for a more constructive and positive future for Korea and the world,” concludes Velloso.

Chamdo por alguns de "Paraíso de ninguêm", a região da DMZ acabou ser a região ideal em que algumas espécies de aves e outros animais ameaçados de extinção habitam. Foto: One Man, One Map.
Chamado por alguns de “Paraíso de ninguêm”, a DMZ tornou-se uma região ideal para algumas espécies de aves e  outros animais ameaçados de extinção em várias partes do mundo habitarem. Foto: One Man, One Map. | Called by some of “Nobody’s Paradise”, the DMZ has become an ideal region for some species of birds and other animals threatened with extinction in many parts of the world. Photo: One Man, One Map.

Para Marcelle Torres, nos últimos 70 anos, a península coreana viveu momentos de tensão, mas agora, com o apoio da comunidade internacional, encontra-se uma nova fase de paz e prosperidade. “Uma nova era passou a ser desenhada este ano com a realização de diversos encontros históricos entre os dois países. Sobre este processo histórico, o Brasil tem importante papel a cumprir”, afirma Torres. De acordo com a também especialista em assuntos da Coreia, a sociedade brasileira pode contribuir para a paz na península.

For Marcelle Torres, in the last 70 years, the Korean peninsula has experienced moments of tension, but now, with the support of the international community, there is a new phase of peace and prosperity. “A new era has been drawn this year with several historical meetings between the two countries. Regarding this historical process, Brazil has an important role to play, “says Torres. According to the expert on Korean affairs, Brazilian society can contribute to peace in the peninsula.

“As relações diplomáticas entre Brasil e Coreia do Sul iniciaram em 1959. Fomos o oitavo país do mundo e o primeiro latino-americano a oficialmente reconhecer a República da Coreia. A imigração coreana em nosso país iniciou em 1963. Possuímos a maior comunidade coreana da América Latina, com mais de 50 mil coreanos que aqui residem. E o mais emblemático é que somos o único país latino-americano a ter relações diplomáticas com ambas as Coreias e suas respectivas representações. Portanto, é preciso uma reflexão sobre nosso papel nesta questão crucial, o que também nos leva a incentivar e expandir o já crescente interesse dos brasileiros pela Coreia”, conclui a pesquisadora.

“Diplomatic relations between Brazil and South Korea began in 1959. We were the eighth country in the world and the first Latin American to recognize the Republic of Korea officially. Korean immigration in our country began in 1963. We own the largest Korean community in Latin America, with more than 50,000 Koreans living here. In addition, most emblematic is that we are the only Latin American country to have diplomatic relations with both Koreas and their respective representations. Therefore, we need to re-examine our role in this crucial issue, which also leads us to encourage and expand the already growing interest of Brazilians in Korea,” concludes the researcher.

English translation by Flávio Carvalho.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.