Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas no centro de Seul neste sábado para exigir a renúncia da presidente Park Geun-Hye, após o escândalo envolvendo sua amiga e confidente Choi Soon-Sil.

Foto: Dezenas De Milhares De Pessoas Se Reuniram Na Praça Gwanghwamun, No Centro De Seul, No Sábado, Para Exigir Que A Presidente Park Geun-Hye Renuncie Devido Ao Escândalo No Qual Se Envolveu. Foto: Yonhap
Foto: dezenas de milhares de pessoas se reuniram na praça gwanghwamun, no centro de seul, no sábado, para exigir que a presidente park geun-hye renuncie devido ao escândalo no qual se envolveu. Foto: yonhap

Cerca de 200.000 pessoas reuniram-se à Praça Gwanghwamun à noite, de acordo com os organizadores, sinalizando a insatisfação pública contra a presidente Park, apesar de seu segundo pedido de desculpas ter sido televisionado um dia antes. A estimativa da polícia era de 43 mil pessoas.

A Segunda Manifestação Desde Que O Escândalo De Choi Soon-Sil Surgiu Foi Maior Do Que O Primeiro Realizado No Último Sábado, O Qual Os Organizadores Disseram Que Atraiu Cerca De 40.000 Pessoas. Foto: Yonhap
A segunda manifestação desde que o escândalo de choi soon-sil surgiu foi maior do que o primeiro realizado no último sábado, o qual os organizadores disseram que atraiu cerca de 40. 000 pessoas. Foto: yonhap

Jovens estudantes tomaram o centro do palco da manifestação condenando a presidente por permitir que um amigo civil se intrometesse em assuntos do estado. Eles prometiam “salvar” o país.

Alunos Do Ensino Médio E Universitários Marcharam Pela Praça Gwanghwamun, No Centro De Seul, No Sábado, Pedindo A Demissão Da Presidente Park. Foto: Ock Hyun-Ju/The Korea Herald
Alunos do ensino médio e universitários marcharam pela praça gwanghwamun, no centro de seul, no sábado, pedindo a demissão da presidente park. Foto: ock hyun-ju/the korea herald

Nossa revolta é pelo fato de um indivíduo não eleito governar o país nos bastidores. É uma regressão da democracia que aprendemos“, disse Cho Ji-Hun, um estudante de 18 anos. “Eu pensei que me arrependeria no futuro, se eu não fizesse nada nesta situação“.

Centenas de estudantes em uniforme escolar andavam pela rua principal na área de Gwanghwamun gritando “Park Geun-Hye, caia fora” e ao cantarem o hino durante a manifestação, eles receberam aplausos de outros manifestantes.

Olhando para os jovens estudantes que tomaram as ruas, eu me senti envergonhado por mim mesmo e pelas pessoas da minha geração“, disse Lee Seong-Kyun, um aposentado de 65 anos, que se juntou à manifestação anti-Park pela primeira vez. “Nós (adultos) deixamos isso acontecer por não agir mais cedo.
As desculpas que ela deu me decepcionaram ainda mais. Ela negou sua parte no escândalo, transferindo toda a culpa para Choi Soon-Sil” disse ele. “Ela deveria abandonar o governo voluntariamente e ser investigada“.

Park Geun-Hye pediu desculpas por baixar a guarda com Choi Soon-Sil e por seu papel em um escândalo político doloroso, mas se distanciou do suposto abuso de influência e desvio de fundos públicos de Choi para ganho pessoal. Park disse que aceitaria questionamentos de acusação se necessário, o que sugere que ela não pretende deixar o governo.

Apesar de ser organizado por sindicatos e grupos cívicos, a manifestação atraiu muitos cidadãos não afiliados que vieram com sua família e amigos para expressar sua frustração. Eles gritavam “Park Geun-Hye, caia fora” ou “o proprietário deste país é o povo coreano“, com muitos segurando velas e carregando cartazes anti-Park.

Eu vim aqui para não sentir vergonha na frente de meus filhos. Nunca participei de uma manifestação, mas não consegui ver a presidente arruinar ainda mais este país“, disse Park Je-Hee, de 37 anos, que trouxe crianças de 3 anos e 5 anos de Suwon.
Je-Hee disse que o pedido de desculpas de Park a deixou ainda mais irritada. “A presidente Park não parece saber qual é o verdadeiro problema. Ela acha que os coreanos são um bando de idiotas?”

A taxa de aprovação de Park caiu para 5%, estabelecendo um mínimo histórico para os presidentes sul-coreanos, de acordo com uma pesquisa Gallup divulgada sexta-feira. A pesquisa foi conduzida com 1.005 coreanos de 1-3 novembro.

Ao cair da tarde, os manifestantes começaram a marchar para o centro de Seul depois que um tribunal local ordenou à polícia que cancelasse a proibição da marcha no início do dia.

Estou chocado com o fato de Park ter ignorado o povo coreano. Ela não parece entender que ela foi eleita para nos representar“, disse Kim Ji-Won, de 25 anos, enquanto marchava com seus pais. “Esta manifestação pode não ser capaz de mudar a situação de imediato, mas está mostrando o poder das pessoas“.

A polícia despachou cerca de 20 mil homens para o centro de Seul para manter a ordem pública. Eles construíram barricadas com ônibus da polícia em uma aparente tentativa de bloquear os manifestantes de marchar em direção a casa presidencial.

Policiais Se Alinham Para Impedir Que Os Manifestantes Marchem Em Direção Ao À Casa Azul. Foto: Ock Hyun-Ju/The Korea Herald
Policiais se alinham para impedir que os manifestantes marchem em direção ao à casa azul. Foto: ock hyun-ju/the korea herald

Assim como fez na manifestação do fim de semana passado, a polícia pareceu evitar provocar os manifestantes e usar violência, consciente de possíveis reações públicas. Não havia canhões de água instalados no local.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.