Hoje o Koreapost entrevista o dono do Restaurante New Shin La Kwan, um grande parceiro do site na divulgação da Cultura Coreana e um grande representante da fantástica culinária coreana em São Paulo.

Sae Kim em seu restaurante. Foto: SarangInGayo
Sae Kim em seu restaurante. Foto: SarangInGayo

KP: Sae, você poderia apresentar-se para os fãs do Koreapost?

Meu nome é Sae Young Kim, e tenho 36 anos. Minha família chegou ao Brasil em Outubro de 1981 – meu pai Ke Hak Kim, minha mãe Hae Sook Chun, meu irmão mais velho Jae Young Kim (37 anos) e eu. Minha irmã mais nova, Suzana Che Young Kim (29 anos), já nasceu no Brasil.

KP: Por que sua família resolveu abrir um restaurante e há quanto tempo ele existe?

Quando mudamos para o Brasil, meus pais trabalhavam como vendedores de roupa, de porta em porta. Trabalhavam em qualquer coisa que conseguissem com a ajuda dos outros coreanos que já estavam aqui. Com o tempo, como a minha mãe sabia cozinhar muito bem, conseguiram juntar um pouco de dinheiro e com a ajuda de amigos, conseguiram comprar o único restaurante coreano que existia no Bom Retiro, na época.

Ficamos lá pelo menos uns 12 anos. Foi um dos primeiros restaurantes coreanos em São Paulo e se chamava Hang Yang Guan. Algum tempo depois, meus pais decidiram aventurar-se em outros negócios, mas nem todos foram bem sucedidos, então, depois de vários altos e baixos, surgiu a oportunidade de comprar de volta o Hang Yang Guan. Ficamos lá uns 2 anos e daí surgiu outra oportunidade, de comprar o Shin La Kwan. Agora estamos com o New Shin La Kwan a 4 anos.

O interior do New Shin La Kwan
O interior do New Shin La Kwan

KP: Qual é o método de divulgação do restaurante?

Apostamos basicamente no boca-a-boca e nas redes sociais. Mas à partir do ano passado, começamos a ser procurados pelos organizadores de festas e eventos k-pop e de cultura asiática, e começamos a patrocinar estes eventos, aumentando o conhecimento do público brasileiro sobre o nosso restaurante, que antes, era frequentado quase que exclusivamente por coreanos.

É importante ressaltar que o nosso principal objetivo é divulgar a culinária coreana, não apenas o nosso restaurante, por isso apoiamos os eventos e outros empreendimentos, ajudando na divulgação da culinária coreana.

KP: Como surgiu a ideia de divulgar o restaurante para os k-poppers?

Na verdade não foi iniciativa nossa, fomos procurados pelos organizadores de eventos kpop, acabamos gostando do pessoal, fazendo amizades, então, embarcamos nessa onda.

KP: Houve alguma mudança desde que começaram a se envolver com os fãs da cultura coreana?

Houve sim. Notamos um crescimento no público não-coreano em nosso restaurante. De 1 ano e meio pra cá, deve ter triplicado o número brasileiros e nós ficamos muito satisfeitos com isso, que a culinária coreana esteja conquistando o coração dos brasileiros!!

Notamos até em relação aos pratos, houve um crescimento significativo na venda de bibimpap e bulgogui. Para se ter uma ideia, a panela de pedra na qual fazemos o bibimpap, tivemos que mandar vir outras junto ao importador, para podermos duplicar nossa capacidade de oferecer este prato. Tenho certeza que se continuarmos com as divulgações, iremos dobrar novamente este público em 1 ano.

KP: Vocês já recebiam clientes brasileiros em seu restaurante? Com qual frequência?

O público brasileiro em nosso restaurante era muito esporádico. Dificilmente os brasileiros vinham sozinhos, na maioria eram amigos ou clientes de coreanos. Agora isso mudou muito. Os brasileiros vem em grupos e às vezes nem tem coreanos junto, é muito bacana!

KP: Qual a reação dos clientes brasileiros ao experimentar a comida coreana?

É bastante engraçado ver como os brasileiros ficam surpresos com a quantidade de comida, cores e sabores em uma só refeição. À primeira vista eles ficam bem surpresos, mas depois de experimentar cada porção, eles se entregam aos sabores e à pimenta. Nosso feedback é bem positivo em relação a culinária. Já temos uma clientela fiel e tivemos inclusive vários vips e televisivos nos visitando!

O produtor visual Daniel Docko, o Youtuber Pyong Lee e a Editora Chefe do Koreapost, Carol Lee, prestigiando o New Shin La Kwan
O produtor visual Daniel Docko, o Youtuber Pyong Lee e a Editora Chefe do Koreapost, Carol Lee, prestigiando o New Shin La Kwan

KP: Você disse que o Bimbimbap e o Bulgogi são os pratos de preferência dos brasileiros. Saberia dizer por que?

Acredito que estes pratos são os mais fáceis de assimilar para o paladar do brasileiro, que gosta muito de carne.

KP: Quais são as diferenças, na sua opinião, entre os clientes coreanos e brasileiros?

Os clientes coreanos na maioria já sabem o que querem, sentam, fazem o pedido, comem, alguns bebem (normalmente bebidas alcoólicas) e vão embora. Vapt-Vupt. Sempre em um horário mais cedo. Os brasileiros sentam, conversam, pedem, comem, conversam, bebem (refrigerante, porque a maioria é bem jovem) e só muito tempo depois vão embora. E sempre em um horário mais tarde.

É bom porque desta forma, conseguimos manter nosso restaurante aberto o dia inteiro sem “conflitos” de horários entre o público brasileiro e coreano.  É muito interessante ver essa diferença de estilos.

O educador e candidato à vereador por São Paulo, Bruno Kim, o Sae e o pessoal da Rádio FM 98.5
O educador e candidato à vereador por São Paulo, Bruno Kim, o Sae e o pessoal da Rádio FM 98.5

KP: Como patrocinador de eventos de cultura coreana, você também é um divulgador da cultura coreana. Qual é a sua ideia para ampliar esse lado do seu negócio?

Estamos aos poucos profissionalizando nosso restaurante. Tanto na parte operacional, onde contamos com uma consultoria sanitária para nos ajudar a obedecer à todas as leis da vigilância sanitária, quanto na parte burocrática com uma empresa de contabilidade e assessoria jurídica.

Nosso próximo passo é profissionalizar nossas mídias. Já estamos em negociação com uma empresa de inteligência de mercado para mapear nossas estratégias futuras, tanto para o nosso restaurante, quanto para nosso projeto de expansão.

Apostamos bastante nos eventos de cultura coreana e graças aos amigos e parceiros, sempre somos procurados para participar e patrocinar os eventos. À partir do ano que vem, vamos estar mais presentes nestes eventos. É um orgulho para nós ver a cultura e a culinária coreana se popularizando no país que escolhemos para viver.

KP: Fale sobre os seus planos futuros, Sae!

Temos muitos planos, mas no momento, eles são “segredo de Estado”… Hahahaha…. Mas posso dizer que estamos trabalhando para melhorar nossa comunicação social e divulgação da cultura coreana, e que estamos analisando um projeto audacioso de expansão, não apenas para o restaurante, mas em cultura coreana relacionada à gastronomia. Aguardem que novidades estarão por vir!!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.