Kim Su-yeon, 39 anos, trabalha num escritório em Seul e adora assistir séries coreanas nos finais de semana e feriados.

Nos últimos dias, terminou de assistir o romance “Melancholia“, “Reflection of You“, “The King´s Affection” e “The Red Sleeve” por meio de plataformas de streaming, como a Netflix.

Serviços de streaming brigam para conquistar assinantes coreanos
Da esq. para dir: as séries “Melancholia”, “Reflection of You”, “The King´s Affection” e “The Red Sleeve”.

Queria ter mais tempo. Geralmente consigo assistir só de noite“, disse ela.

Eu assino a Netflix, Wavve e Disney+, e com esses três, consigo assistir quase tudo que quero“, disse Kim.

Ela disse que aproveita os programas populares da TV sempre que quer, sem precisar baixar eles ilegalmente ou comprar episódios em plataformas de vídeo-sob-demanda.

Desde 2015, quando a Netflix estreou seus serviços na Coreia, o mercado de plataformas de streaming se transformou numa das mais rápidas e lucrativas indústrias do mundo, com conteúdo cultural como K-pop, séries de TV e filmes, marcando sua presença não só na Ásia, mas em todo o mundo.

O mercado de streaming foi avaliado em aproximadamente W308.90 bilhões ($261.30 milhões) em 2016, mas disparou para W1 trilhão em 2021, de acordo com dados da Comissão de Comunicação de Coreia.

A pandemia impulsionou as atividades home-office e mudou o cenário da indústria de mídias locais a passos longos, levando as operadoras locais e globais a competir por conteúdos originais para ganhar mais assinantes.

Netflix, que investiu um total de $1.2 bilhões de dólares no mercado desde seu lançamento, vem produzindo conteúdo original em coreano, visando não apenas telespectadores coreanos, mas também o público global.

Em setembro, incluiu a sensação global “Round 6“, em outubro “My Name“, em novembro “Hellbound“, e em dezembro estreou o suspense de ficção científica, “The Silence“.

Serviços de streaming brigam para conquistar assinantes coreanos
Cena da série Round 6, que bombou na Netflix. Fonte: The Korea Bizwire.

Wavve e Tving, serviços de streaming coreanos, que estão em segundo e terceiro lugar, respectivamente, também estão se esforçando para criar um conteúdo com shows exclusivos e atraentes, como “Transit Love“.

A Wavve oferece programas dos três principais canais de TV do país, como KBS, MBC e SBS, enquanto que a Tving oferece canais a cabo da TvN, JTBC, Mnet e OCN.

A competição acirrada dos serviços de streaming para atender a demanda exigente dos clientes coreanos resultou na ampliação de escolhas de show e filmes de cada plataforma.

De acordo com uma pesquisa realizada em junho, pela Agência do Consumidor da Coreia, quase 55% dos 1.800 entrevistados disseram que eles estavam usando pelo menos dois serviços de streaming.

A Netflix foi escolhida por 58% dos usuários que usam mais de um serviço, seguida pelo Wavve com 23.5%, e Tving com 22%.

Serviços de streaming brigam para conquistar assinantes coreanos
Aplicativo Tving, que é uma concorrente coreana da Netflix. Fonte: The Korea Bizwire

Ao mesmo tempo, as pessoas estão reclamando que a competição e o aumento de conteúdo nem sempre são boas pra elas, levando elas a diminuir suas escolhas.

As pessoas precisam assinar todos os serviços online para ter acesso a programas populares originais fornecidas por cada plataforma.

Por exemplo, os coreanos tem que pagar W9.900 ($8.30) a mais para continuar a assistir as series da Marvel ou as animações da Pixar no Disney+, que foram retirados dos serviços de serviços de vídeo-sob-demanda e plataformas de streaming desde o inicio do ano, por causa do lançamento no Disney+, em novembro.

Assinando Netflix, Wavve, Tving, Disney+ e Watcha, você paga aproximadamente W43.500 todo mês nos pacotes mais baratos.

Serviços de streaming brigam para conquistar assinantes coreanos
Concorrência acirrada dos serviços de streaming fazem coreanos assinar mais de um serviço. Fonte: Pulse News Korea

Por isso os consumidores procuram meios de compartilhar a conta com outras pessoas para economizar nas despesas mensais. Alguns aplicativos de compartilhamento de conta estão ganhando popularidade no país.

Su-yeon, uma coreana que ama dramas coreanos, disse que está pagando W15.000 por três serviços de streaming. Ela compartilha a assinatura da Netflix e Wavve com seu irmão e a Disney+ com suas amigas.

Considerando minhas preferências e gostos por séries românticas, eu acho que o Wavve é o suficiente pra mim“, disse ela.

Mas eu não consigo parar de usar a Netflix e Disney+ por causa que algumas séries só passam lá“.

Ela disse que a Netflix e a Disney+ serve apenas para se manter atualizada, como “Round 6” e “Hellbound”, que tem sido assunto nas rodas de amigos.

Especialistas notaram um aumento nas assinaturas de plataformas de streaming e  que podem ocasionar uma diferença cultural entre aqueles que assistem aos programas populares e aqueles que não tem acesso.

No passado, todas as pessoas assistiam aos mesmos programas de tv nos canais de TV aberta“, disse um crítico cultural, Ha Jae-keun.

Mas hoje, o número de assinantes decide a sua diversidade cultural. Se você não tem dinheiro para usar Netflix, você não pode fazer parte da sensação global “Round 6″‘.

Disclaimer

As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.