Via: The Korea Herald.

A Coreia do Sul está perto de atingir sua meta de ter 70% da população vacinada com a primeira dose da vacina contra COVID-19 antes de sábado, quando começa o feriado Chuseok deste ano. O que isso significa para as medidas do país contra a pandemia daqui para frente?

Lee Ki-il, o vice-ministro para políticas de saúde do Ministério da Saúde e Bem-Estar, disse em entrevista coletiva na sexta-feira que a Coreia estava perto de atingir “um marco significativo na campanha de vacinação contra COVID-19”.

Cerca de 36 milhões de pessoas, ou 70% da população coreana, terão recebido pelo menos uma dose, mais de seis meses desde que o primeiro lote de vacinas começou a ser distribuído em fevereiro. Na sexta-feira, a taxa da primeira dose era de 69%.

Como as duas rodadas de vacinação da Pfizer e Moderna, que tem sido os tipos mais amplamente distribuídos no país desde julho, são concluídas em seis semanas, espera-se que a proporção de pessoas totalmente vacinadas aumente para 70% em outubro.

O intervalo entre a primeira e a segunda dose de AstraZeneca foi encurtado de oito para quatro semanas para aumentar a distribuição da segunda dose, de acordo com o anúncio de quinta-feira.

A antecipação da segunda dose de Pfizer ou Moderna, que está marcada para seis semanas após a primeira, agora é possível por meio dos sistemas de inscrição online para “sobras” de vacinas.

No mesmo briefing, o porta-voz do ministério, Son Young-rae, disse que na trajetória atual, a Coreia “deve chegar a 80%, possivelmente ainda mais, em outubro”. Questionado sobre o que cruzar a marca de 70% para as primeiras doses acarretaria para o controle da COVID-19 no país, ele disse que uma dose já oferece forte proteção contra hospitalizações e mortes.

Mas uma dose da vacina é conhecida por ser menos eficaz na prevenção contra a variante delta, que correspondeu a 98% de todos os casos analisados ​​na semana passada. Quase 1 em cada 5 pacientes diagnosticados entre julho e setembro na Coreia haviam tomado a primeira dose e estavam aguardando a segunda, de acordo com estatísticas oficiais.

Apesar do progresso da vacina, a quarta onda da pandemia não está desacelerando, com mais 2.008 casos confirmados nas últimas 24 horas até a meia-noite de quinta-feira. Até o momento, em setembro, uma média de 1.796 casos foram registrados por dia, um pouco acima da média diária observada em agosto de 1.712 casos.

Lee, do Ministério da Saúde, disse que isso se deve ao impacto da variante delta que é “cerca de três vezes mais contagiosa do que o vírus original encontrado em Wuhan”, na China, e ao abrandamento das restrições ao distanciamento social no início deste mês.

O limite de reuniões privadas foi flexibilizado para permitir que até oito pessoas se reúnam depois das 18:00, se pelo menos quatro do grupo estiverem totalmente vacinados. Durante o verão, apenas duas pessoas podiam se encontrar à noite.

“Nossas projeções indicam que a Coreia seguirá uma tendência de queda nas taxas de casos na segunda metade de setembro”, disse ele.

O objetivo é aumentar a cobertura total de vacinação, disse Jeong Eun-kyeong, comissário da Agência de Prevenção e Controle de Doenças da Coreia, em uma clínica de vacinação perto da sede da agência em Cheongju, província de Chungcheong do Norte.

“A tarefa mais importante é imunizar totalmente mais pessoas”, disse ela. “Não pule a segunda dose quando chegar a hora.”

Na contagem de sexta-feira, 41% da população sul-coreana está totalmente vacinada.

Por idade, a taxa de vacinação total foi mais alta em pessoas que estão na casa dos 70 anos com 89%, seguidas por aquelas na faixa dos 60 anos com 86% e aquelas com 80 anos ou mais com 79%.

Para pessoas na casa dos 50 anos, para quem as vacinas começaram na última semana de julho, era de 40%. Cerca de 30 e poucos anos, muitos dos quais receberam as vacinas Johnson & Johnson fornecidas pelos Estados Unidos em junho, vieram a seguir com 31%. Para pessoas entre 40 e 20 poucos anos, o empate era de 26%.

Uma fase ainda mais complexa na vacinação está à frente em outubro, quando as vacinas para menores de 18 anos e mulheres grávidas estão planejadas, bem como a terceira vacinação de “reforço” para pessoas mais velhas e vulneráveis.

A Coreia entregou 11.785.221 doses nos primeiros 17 dias de setembro, das quais 6.086.314 foram as primeiras doses. O número médio de doses distribuídas por dia neste mês é 368.288, acima das 285.969 de agosto.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.