No Line Hotel, um dos hotéis mais badalados da Koreatown em Los Angeles, um casal pede um bife servido com molho de doenjang escuro. Eles divertidamente falam sobre as grafias da palavra coreana.

Um grupo de jovens latinos colocam soju engarrafado no balcão do mercado que aparenta ter quase todos os itens coreanos, incluindo lanches de arroz que vendedores ambulantes costumam vender na Coreia.

Na área, spas são similares às casas de banho público coreanas (as jjimjilbang – 찜질방), ao invés de oferecer serviços de beleza de luxo. Caminhando pelo bairro, perto da estação de metrô Wilshire / Vermont, pode-se até mesmo ver um sinal de não-fumantes em língua coreana.

Uma jovem passando de carro grita o nome de seu membro favorito do BTS “Jimin” quando ela vê um display eletrônico com a foto do famoso grupo de K-pop na parede de um prédio alto. Focando nos jovens americanos, Los Angeles está se tornando cada vez mais um centro de cultura coreana.

Kaelan Nielsen, gosta de assar a sua carne por conta própria nas churrascarias coreanas,pois é uma experiência divertida. No House of Galbi em Encino, LA. Foto: Koreatimes

E a comida coreana se beneficia desta atmosfera. Os restaurantes que serviam mais clientes coreanos no passado, viram um grande aumento em clientes americanos agora. Restaurantes de sucesso abrem filiais e se aventuram em outras regiões que nunca tiveram restaurantes coreanos anteriormente.

“De todos os meus amigos que estou levando para o churrasco coreano, nenhum foi embora insatisfeito. Todo mundo adorou e eles querem ir regularmente”, disse Brian Weinberger, advogado que almoçou na churrascaria coreana House of Galbi perto de seu local de trabalho em Encino.

Durante a hora do almoço, é oferecido um menu com a oferta especial estilo buffet, onde os clientes podem explorar 24 itens, incluindo uma variedade de carnes, como peito de boi, bulgogi, barriga de boi e peito de frango marinado, além de acompanhamentos no valor de 17,99 dólares por pessoa.

Afirmando que galbi é seu “amor à primeira mordida”, Weinberger fala sobre as pessoas considerarem a comida coreana uma maneira saudável de se alimentar, porque há muitos vegetais. “Venho aqui quase uma vez por semana com meus amigos e familiares. Eles gostam dos acompanhamentos e geralmente a qualidade da carne é muito boa”.

De acordo com Weinberger, as empresas de alimentos coreanas estão prosperando perto de sua casa, no subúrbio de Thousand Oaks, a cerca de 35 quilômetros a oeste do restaurante. “Os coreanos estão abrindo churrascarias por lá agora. Isso é totalmente uma nova área branca. Então eles estão se expandindo”.

Helen Kim, dona do House of Galbi. Foto: Koreatimes

Para Helen Kim, dona da House of Galbi, a mudança em favor da comida coreana em Los Angeles nos últimos dez anos ou mais tem sido óbvia. Quando ela abriu seu primeiro restaurante no bairro em 2006, seus clientes eram, em sua maioria, coreanos com saudades de comida de sua terra natal.

“Este é o meu segundo restaurante no mesmo bairro, e agora apenas 15% dos meus clientes são coreanos e o restante não é asiático-americano. Comparado ao meu primeiro restaurante, este novo também é maior, mais que o dobro do tamanho”, disse ela.

“Eu tenho muitos clientes regulares. Às vezes vejo no dia seguinte as pessoas que já visitaram ontem”.

Kaelan Nielsen, um jovem homem de origem judaica / irlandesa acompanhando Weinberger, disse que sua namorada tailandesa o apresentou à comida coreana. “Ela estava me apresentando a comida tailandesa, notória por ser azeda, doce, salgada e apimentada. Quando a comida tailandesa fica meio chata, expandimos os horizontes”, disse ele.

Restaurante Master Ha, em Los Angeles, CA. Foto: https://la.eater.com

“Comida americana tende a ser bem sem gosto e gordurosa… não particularmente interessante. Assim como a tailandesa, a comida coreana tem muitos sabores fortes. Estamos desfrutando de comida tailandesa e coreana pelo mesmo motivo”.

Vejo jovens e americanos não asiáticos, procurando por coisas novas e excitantes, comendo comida coreana.

“Um restaurante do qual pensei que não teria sucesso, abriu primeiramente em um bairro de baixa renda hispânico. Não é que o churrasco coreano seja caro, mas 25 dólares por pessoa é mais do que pensei que a comunidade pudesse pagar. Mas eles estão sempre lotados. Até mesmo a comunidade hispânica parece gostar e adotar a comida coreana”.

Ambos dizem que a carne é a principal razão pela qual as pessoas visitam.

“Bulgogi, galbi e dwaeji galbi … São tipos diferentes de carne. Nós não temos esse tipo de carne. É como ser apresentado a novos itens e diferentes tipos de marinadas. Não é algo chato. Se é novo, bom e excitante, é divertido”.

Restaurante Kang Ho-dong Baekjeong. Foto: https://la.eater.com

Em Los Angeles, o número de restaurantes coreanos (incluindo bares e cafés) aumentou 30% nos últimos cinco anos, de acordo com a LA Korean American Restaurant Association. Atualmente, o número é de 1.500.

Dez ou 15 anos atrás, os restaurantes de churrasco e sushi eram muito populares aqui, disse Lee Ki-young, CEO da associação.

“Após alguns anos de desaceleração nos negócios, os restaurantes de churrasco coreanos melhoraram sua qualidade de carne. Ao mesmo tempo, ocorre um afluxo de negócios voltado para a nova geração da moda, como restaurantes tteokbokki picantes e quentes que surgiram em questão de dois ou três anos. Tudo isso somado a uma crescente variedade de comida coreana, expondo mais pratos coreanos aos americanos”.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.