Com a histórica cúpula inter-coreana marcada para 27 de abril, os especialistas dizem que Ri Sol-ju, esposa do líder norte-coreano Kim Jong-un, provavelmente acompanhará seu marido na viagem a Coreia do Sul.

Ri Sol-ju manteve sua existência velada quando a mídia estatal do Norte a identificou como esposa de Kim Jong-un em 2012.

Ela foi vista ao lado de Kim Jong-un em sua estreia diplomática na cúpula com o líder chinês Xi Jinping, em Pequim no mês passado. Esta foi a primeira viagem do líder norte-coreano fora do país desde que assumiu o poder no final de 2011, sinalizando o fim dos quase 6 anos de reclusão de Kim Jong-un no cenário internacional.

(Imagem: Yonhap)
(Imagem: Yonhap)

Embora ainda não tenha sido oficialmente confirmado, os especialistas prevêem que a partir das recentes mudanças em torno do status de Ri no regime norte-coreano, ela provavelmente assumirá o papel de uma “primeira-dama moderna”, em meio aos esforços de Kim para romper o isolamento diplomático. Os antecessores de Kim tinham o hábito de embarcar em viagens ao exterior sem seus cônjuges.

“Ri deve tomar um chá com a primeira-dama (sul-coreana) Kim Jung-sook e participar de um almoço ou jantar de estado oferecido pelo Presidente Moon Jae-in, ao lado de Kim Jong-un”, disse Yang Moo-jin, professor da Universidade de Estudos Norte-coreanos (INKS).

Seu status dentro do regime norte-coreano foi aparentemente elevado, com a mídia norte-coreana descrevendo-a como “dama”, em vez do antigo “companheira”, desde a grande parada militar do norte, em fevereiro.

Cheong Wa Dae disse que o título oficial de Ri seria “dama” ou “Sra. Ri”, na necessidade de se dirigir a ela no futuro. O líder norte-coreano detém o título oficial de presidente, como ele dirige a comissão de assuntos do país, disse Cheong.

RI SOL JU
Foto: Daily Express

Analistas também falam sobre o lado sul-coreano da trégua, na aldeia de Panmunjeom (fronteira entre as duas Coreias), local estabelecido para o encontro. O presidente Moon Jae-in e a primeira-dama Kim Jung-sook cumprimentarem o casal norte-coreano poderá ajudar a mostrar um alívio das tensões militares na península.

“O olhar do Presidente Moon e primeira-dama Kim cumprimentando Kim Jong-un e Ri, será uma oportunidade de mostrar a flexibilização das tensões militares na Península Coreana para a comunidade internacional. Também um almoço ou jantar seria uma maneira pacífica de encerrar os acordos alcançados durante a cúpula e uma plataforma para futuras conversações no futuro”, disse Kim Yong-hyun, professora de estudos norte-coreanos na Universidade de Dongguk.

Ri também esteve presente no jantar de boas-vindas, oferecido aos enviados especiais de Moon a Pyongyang no início do mês passado, outra indicação de sua crescente presença diplomática como primeira-dama.

Ri Sol-ju é considerada a primeira cônjuge de um líder norte-coreano a assumir tal papel. Kim Ok, a quarta esposa de fato de Kim Jong-il, também serviu como sua secretária pessoal, acompanhou o marido em suas visitas à China e à Rússia, mas acreditava-se que era parte de seu dever como secretária, e não como uma primeira dama.

Por outro lado, alguns especialistas dizem que os dois líderes provavelmente encerrarão a cúpula focados em alcançar um “clima mais prático” para a reunião e irão se abster de eventos envolvendo seus cônjuges.

“A cúpula será provavelmente uma conversa rápida. O importante é mostrar (progresso) e não apenas uma reunião através de banquetes, e é por isso que acredito que Ri Sol-ju não acompanhará Kim na viagem”, Ko Young-hwan, professor visitante no Instituto de Segurança e Estratégia Nacional em Seul, disse recentemente à emissora local YTN.

A cúpula inter-coreana, que deverá ser uma reunião de um dia, é um resultado alcançado pelas duas Coreias, quando enviados especiais de Moon conversaram com Kim Jong-un em Pyongyang no mês passado.

Espera-se que os principais itens da agenda da cúpula se refiram à desnuclearização da península e declaração de um fim oficial à Guerra da Coreia. As duas Coreias continuam tecnicamente em guerra, já que a Guerra da Coreia de 1950-53 terminou em uma trégua (armistício), e não um tratado de paz.

Esta será a terceira cúpula inter-coreana e a primeira vez de um líder norte-coreano pisar em solo sul-coreano desde o fim da Guerra da Coreia. As duas primeiras cúpulas foram realizadas em Pyongyang em 2000 e 2007.

Donald Trump, presidente norte-americano, também deverá se encontrar com Kim Jong-un até o final de maio, depois da delegação sul-coreana entregar uma mensagem do líder norte-coreano, expressando a disposição de discutir sobre a desnuclearização.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.