Guardas de fronteira desarmados das duas Coreias poderão atravessar a Linha de Demarcação Militar (Military Demarcation Line, MDL) a partir deste mês, enquanto as autoridades de defesa sul-coreanas vão intensificar os esforços para a implementação antecipada de um recente acordo militar inter-coreano que visa a redução das tensões, disse um funcionário do governo recentemente.

Os dois lados já fizeram da Área de Segurança Conjunta (Joint Security Area, JSA) na vila de Panmunjom uma zona livre de armas sob o acordo de 19 de setembro de 2018, em um conjunto de medidas para o fortalecimento da confiança entre os países.

Essa medida é um dos principais resultados das negociações entre o presidente sul-coreano Moon Jae-in e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, realizadas em uma série de reuniões no ano passado.

As duas Coreias e o Comando das Nações Unidas concordaram em permitir que guardas se movimentassem “livremente” pela MDL. Mas os dois lados ainda não assinaram um documento formal sobre novas diretrizes a serem seguidas em operações militares relevantes, incluindo o sistema de vigilância.

O funcionário disse que as forças armadas da Coreia do Sul estão pressionando para a realização de uma nova rodada de negociações sobre o assunto este mês. Se um acordo for firmado, a medida prevista pode ser implementada imediatamente, acrescentou o funcionário sob a condição de anonimato.

A Coreia do Sul também pretende lançar um comitê militar conjunto com o Norte no primeiro semestre de 2019, já que os dois lados planejam iniciar uma escavação conjunta dos restos mortais de guerra na Zona Desmilitarizada (DMZ) em abril deste ano.

Em sua mensagem de Ano Novo, o ministro da Defesa da Coreia do Sul, Jeong Kyeong-doo, disse que abrir o caminho para uma nova paz, assim como defender o país, é dever do exército. Ele enfatizou a necessidade de que as forças armadas ajudem a estabelecer a base para a flexibilização das tensões militares inter-coreanas e medidas de construção de confiança, mantendo uma postura de defesa sólida.

Ele acrescentou que também é importante melhorar as capacidades de defesa da Coreia do Sul para se prepararem para a transição do controle operacional em tempo de guerra (OPCON) das tropas dos Estados Unidos para o governo sul-coreano.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.