Foto: The Korea Times. O jogador da seleção sul-coreana de futebol Son Heung-min, ao centro, parte no Aeroporto Internacional de Incheon, em Incheon, na quinta-feira, 17 de outubro de 2019. A Coreia do Norte manteve a Coreia do Sul empatada em 0-0 na terça-feira passada, em uma partida da fase de qualificação da Copa do Mundo disputada em estádio vazio em Pyongyang. Detalhes específicos do jogo não estavam disponíveis imediatamente. As autoridades sul-coreanas não puderam assistir a transmissão do jogo histórico no Estádio Kim Il Sung e os espectadores e a mídia sul-coreanos foram impedidos de entrar.

Son Heung-min, estrela do Tottenham Hotspur e da seleção da Coreia do Sul, disse que o histórico jogo de qualificação para a Copa do Mundo em Pyongyang foi uma partida “muito agressiva” que o fez temer lesões, com jogadores norte-coreanos proferindo xingamentos a ele e seus companheiros de equipe.

O jogo na capital da Coreia do Norte terminou 0-0 na terça-feira, diante do presidente da FIFA, Gianni Infantino, mas em um estádio vazio e quase completamente isolado do mundo exterior.

O confronto entre os dois lados – cujos países ainda estão tecnicamente em guerra – ocorreu no Estádio Kim Il Sung, em Pyongyang, sem transmissão ao vivo, apoiadores e mídia estrangeira.

“É uma pena que não tenhamos vencido, mas a partida foi muito agressiva a ponto de ser uma grande conquista apenas retornar em segurança sem sofrer lesões”, disse Heung-min a repórteres ao retornar ao aeroporto de Incheon na manhã de quinta-feira. “Os jogadores norte-coreanos eram sensíveis e agressivos. … Houve muitos palavrões severos (por parte deles)”.

Choi Young-il, vice-presidente da Associação de Futebol da Coreia, acrescentou: “Foi como uma guerra. Nunca vi essa agressão no futebol até agora”.

Son Heung-min afirma que teve sorte em escapar do jogo no estilo ‘guerra’ da Coreia do Norte, sem lesões. Foto: AP

Sobre o estádio vazio, no entanto, Son Heung-min, que era o capitão da Coreia do Sul, disse que não estava chocado. “Isso me fez pensar que (os norte-coreanos) nos consideravam uma equipe forte”.

Os jogadores sul-coreanos não foram autorizados a usar seus celulares durante a estadia em Pyongyang, mas o jogador disse que não se importa. “Gostei, porque dormi muito”, disse ele.

A partida acontece na sequência de uma série de testes de mísseis norte-coreanos que aumentaram as tensões na região e após o colapso das negociações com os Estados Unidos sobre os programas de armas de Pyongyang.

Desde o colapso da cúpula de Hanói entre o líder Kim Jong Un e o presidente dos EUA, Donald Trump, em fevereiro, Pyongyang regularmente exorcizou Seul, descartando as perspectivas de diálogo inter-coreano.

O técnico da Coreia do Sul, Paulo Bento, disse que a eliminatória “não foi uma boa partida”, dizendo que “parou com muita frequência”, já que o árbitro foi forçado a repetir advertências aos jogadores.

O presidente da FIFA, Infantino, disse estar “decepcionado” depois de participar do evento.

“Eu estava ansioso para ver um estádio cheio para uma partida tão histórica, mas fiquei desapontado ao ver que não havia torcedores nas arquibancadas”, disse ele em entrevista publicada no site da FIFA“Ficamos surpresos com isso e com várias questões relacionadas à transmissão ao vivo e problemas com vistos e acesso a jornalistas estrangeiros”.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.