A Pequena Sereia. Pinterest

A ilustradora coreana Wooh Nayoung, também conhecida pelo apelido de “Obsidiana”, alcançou reconhecimento global ao interpretar personagens de contos de fadas como “Alice no País das Maravilhas”, “Branca de Neve e os Sete Anões” e “Frozen” com uma estética do Leste Asiático, criando ilustrações dos personagens vestindo hanbok (trajes tradicionais coreanos). Entrevistada, a artista revela por que buscou um estilo ilustrativo único e como o hanbok mudou sua vida.

Ilustradora traz o Hanbok para personagens ocidentais e descobre o sucesso
Frozen. Foto: The Korea Herald

Como você começou sua carreira na ilustração?
Eu gostava de pintar e desenhar desde jovem, o que me levou a me formar em Arte Oriental na Ewha Womans University em Seul. Depois de me formar em 2001, trabalhei para a empresa de jogos online Nexon. Mais tarde, fiquei fascinada por gráficos 3D que se popularizaram nos jogos online. Porém decidi seguir outro caminho, pois achava que os artistas de design de jogos não tinham perspectivas positivas para o futuro naquela época.

Ilustradora traz o Hanbok para personagens ocidentais e descobre o sucesso
Livro de ilustrações de Wooh Nayoung foi selecionado como um dos livros do ano em 2019 na Coreia do Sul. Foto: Korea Times

Tentei me tornar uma concept artist, mas não foi fácil. Me senti pressionada a estar sempre desenhando “alguma coisa” e isso até me fez perder o interesse pela pintura. Olhando para o passado, sou grata por aqueles tempos difíceis porque eles me deram a oportunidade de avaliar meus interesses e o que eu queria fazer. Quando estava perdida sobre o que eu gostava, tentei fazer tudo o que me inspirava e, de repente, encontrei o hanbok.

Ilustradora traz o Hanbok para personagens ocidentais e descobre o sucesso
Cruela. Foto: Pinterest

Qual trabalho você considera especialmente importante em sua carreira?
“Alice no País das Maravilhas” é a peça mais significativa. Eu trabalhei nela enquanto estava trabalhando na empresa Nexon. Levei cerca de seis meses para terminar o desenho e isso me fez pensar em criar meu próprio estilo. Este projeto foi o resultado de uma avaliação pessoal constante e da minha jornada para descobrir a originalidade das minhas pinturas. Felizmente, “Alice” criou burburinho quando publiquei online. Este projeto me proporcionou muitas oportunidades de colaborar com marcas de prestígio.

Ilustradora traz o Hanbok para personagens ocidentais e descobre o sucesso
“Alice no País das Maravilhas”: A ilustração de Alice caindo na toca do coelho enquanto vestida de hanbok, roupa tradicional coreana, foi transformada em uma animação que foi apresentada no Festival de Animação da Dinamarca em 2019 e na Galeria KF em Seul. Foto: Pinterest

Ocorreu algo especial durante o seu projeto?
Uma mulher coreana-americana me enviou uma mensagem dizendo que adorava brincar de princesa quando era jovem, mas sentiu que a cor da pele era uma barreira, então ela parou. Ela disse que ficou muito emocionada quando viu minha série de princesas de contos de fadas online, acrescentando que diria à filha para “não parar de imaginar”. Fiquei comovida com sua história e seus sentimentos em relação à minha arte.

Ilustradora traz o Hanbok para personagens ocidentais e descobre o sucesso
A Princesa e o Sapo. Foto: Pinterest

Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

sete − 5 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.