Seul não é uma cidade mais conhecida por preservar seu passado. Grande parte da densa paisagem de concreto da cidade foi formada ao longo das últimas décadas pela industrialização. A falta de camadas históricas e diversidade nos contornos da cidade – exceto por alguns palácios antigos restaurados – ganhou o apelido de “uma cidade sem alma”.

A recente ascensão da cidade como destino turístico tornou a crise de identidade mais aguda, uma vez que se esforça para oferecer aos visitantes algo mais profundo do que a cultura de consumo em massa e as infindáveis avenidas de compras.

Diante da necessidade de apresentar uma identidade autêntica a estrangeiros e coreanos, a cidade decidiu avaliar o que tinha. Em 2012, Seul começou a compilar uma lista de lugares de “patrimônio futuro” que incorporam o recente crescimento industrial e a turbulência política da cidade.

Os locais raramente são esteticamente agradáveis e alguns são restaurantes ou lojas que ainda estão em funcionamento, transmitidos por gerações em uma mesma família. Todos representam uma parte de Seul que está desaparecendo rapidamente com o desenvolvimento da cidade e a mudança para uma economia de serviços baseada na tecnologia da informação.

Em 27 de dezembro, a cidade anunciou 14 novas adições à lista – incluindo a torre da cidade, uma padaria e alguns livros – elevando o número total de patrimônios futuros de Seul para 461.

“Apesar desses locais de patrimônio futuro não parecerem marcantes em nossa vida cotidiana, eles serão recursos culturais e históricos valiosos para a próxima geração”, disse Seo Jung Hyup, chefe do departamento de cultura do Governo Metropolitano de Seul, após anunciar os novos acréscimos. “Ao preservar e usar essas heranças futuras, poderemos estabelecer a identidade cultural de Seul“.

Abaixo estão algumas das novas adições.

N Seoul Tower (ou a Torre Namsan)

Fonte: KoreaTimes

A Torre N de Seul, informalmente conhecida como Torre Namsan, foi construída em 1975 como a primeira torre geral de transmissão da cidade. Sua plataforma de observação em forma de cilindro foi adicionada posteriormente e aberta ao público em 1980. Embora tenha apenas 236 metros de altura, a localização da torre no Monte Nam, uma montanha de 243 metros acima do nível do mar no centro de Seul, a torna um ponto de observação perfeito da cidade. Este marco local ainda fornece transmissões de TV para quase metade dos moradores de Seul.

Escola Secundária Pai Chai

Fonte: KoreaTimes

O memorial de Pai Chai, em homenagem aos fundadores da escola – os missionários metodistas Henry Appenzeller e William Noble – tem uma história única. A Escola Secundária Pai Chai foi uma das famosas instituições acadêmicas que foram transferidas para Gangnam, no sul do Rio Han, na década de 1980, para afastar as pessoas do antigo e superlotado centro da cidade, acima do rio.

O Museu Memorial Appenzeller Noble foi reconstruído à imagem de seu edifício original de 1923 em Jongno, preservando o estilo de construção daquele período.

Padaria Napoleon

Foto: KoreaTimes

Inaugurada em 1968 sendo passado de pai para filho dentro da mesma familia desde então, a Padaria Napoleon é considerada uma das três principais padarias de Seul. Embora agora tenha mais de uma dúzia de filiais em todo o país, a loja original está localizada em Seongbuk-gu, no nordeste de Seul.

A Padaria Napoleon é frequentemente chamada de “academia” na indústria, já que suas cozinhas consistentemente produzem os melhores padeiros do país. Embora experimente diferentes pães e confeitos, um de seus itens mais populares ainda é o bom e velho pão de pasta de feijão vermelho.

Estação Gyeongbokgung

Foto: KoreaTimes

Ao contrário de outros, a Estação Gyeongbokgung ganhou seu próprio salão de exposições de arte quando foi construída em 1985. A estação foi escolhida como um futuro patrimônio cultural para “harmonizar estética tradicional e métodos de construção avançados”, disseram os membros do painel de revisão.

Livros

Sete das novas adições à lista de patrimônio são romances bem conhecidos – “Wild Rose”, “Korean” e “Novelist Gubo’s Daily Life”, ensaios “O vendedor de tofu”, “20 anos em Myeongdong” e “Diário de Garam” e o desenho animado “Um ponto de vista imaginário”.

As peças criativas capturam vividamente o cenário da cidade e as pessoas no período entre as décadas de 1920 e 1970 e, em sua maioria, estão situadas no centro antigo de Seul.

Os locais anteriormente adicionados à lista de futuros patrimônios de Seul incluem o beco de bares de Euljiro Nogari, a cidade de Noryangjin hagwon e a 108 Stairway de Haebangchon. Uma lista completa pode ser encontrada no site Future Heritage (somente em coreano).


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.