Lee Noh-hyun, de 32 anos, que se apresenta como “taeeumin” ou uma pessoa com o tipo fisiológico taeeum, disse que tem tentado comer mais carne bovina e menos frango e carne de porco desde que descobriu sobre o seu tipo fisiológico por seu médico de medicina coreana.

“Embora eu não possua uma fé cega na relação entre uma dieta baseada no tipo fisiológico e minha saúde, não consigo ignorar a medicina tradicional coreana completamente pois acredito que seja confiável de certo modo”, disse ele.

Lee é um dos muitos coreanos que tiveram seu tipo fisiológico definido através da medicina tradicional coreana. De acordo com uma pesquisa do Ministério da Saúde e Assistência Social, realizada com 6.915 pessoas no ano passado, 73% dos entrevistados disseram ter experiência com esta face da medicina, sendo que 84% afirmaram que estariam dispostos a visitar clínicas que praticam a medicina tradicional coreana no futuro.

 

A medicina tradicional coreana refere-se às práticas tradicionais que se originaram e se desenvolveram na Coreia. É preciso uma abordagem individual com o seu tipo fisiológico baseado nos seus órgãos internos, aparência e personalidade, que determinam seu tipo fisiológico, que pode ser: taeyang, taeeum, soyang e soeum.

Uma pessoa do tipo taeyang, com pulmões grandes e um fígado pequeno, tende a ser impaciente e de temperamento quente, mas com sentidos aguçados. Legumes e frutos do mar são boas opções para essas pessoas, enquanto alimentos quentes e condimentados são negativos.

Uma pessoa do tipo taeeum – isto é, com fígado grande e pulmões pequenos – tende a ser quieta e não expressar tanto suas emoções. Alimentos ricos em proteínas, como carne bovina, são bons, enquanto uma dieta rica em gordura é ruim.

Uma pessoa do tipo soyang – com baço grande e rins pequenos – tende a ser criativa e extrovertida, mas com baixa resistência. Alimentos frescos e carne de porco são bons, enquanto alimentos quentes devem ser evitados.

Por último, uma pessoa do tipo soeum – com rins grandes e baço pequeno – tende a ter uma personalidade leve e sentimental, mas passiva. Alimentos quentes e frango são bons e alimentos frios devem ser evitados.

20181101000953_0

Mais recentemente, muitas clínicas de medicina tradicional coreana adotaram uma classificação mais específica, que tem oito tipos: em vez de focar apenas no fígado, pulmões, rins e baço, essa nova forma amplia o escopo, examinando também a saúde do estômago, pâncreas, cólon, vesícula biliar e bexiga do paciente.

“A medicina tradicional coreana aborda pacientes com visões holísticas – a conexão orgânica dos órgãos – e se concentra na prevenção de doenças, quando comparada à medicina ocidental que se concentra mais na remoção de fatores externos como vírus com o uso de antibióticos”, disse Song Mi-deok, vice-presidente da Associação de Medicina Coreana e diretor da Kyung Hee Clinic of Korean Medicine.

Quanto ao tratamento, são recomendados acupuntura, moxabustão (acupuntura térmica) e fitoterapia (uso de plantas medicinais).

“A maioria dos tratamentos é usada para eliminar a dor, estimulando os pontos meridianos no corpo do paciente. O estímulo restaura o interior e o exterior de um corpo. Como a acupuntura, que agora está sendo testado para curar a depressão e a insônia”, disse Kim Hyung-jun, pesquisador do Instituto Coreano de Medicina Oriental.

Na acupuntura, os médicos usam uma agulha fina para realizar tal estímulo. Na moxabustão, eles secam a planta artemísia para diminuir seu tamanho e a queimam no corpo do paciente. Na fitoterapia, 10 a 15 ingredientes medicinais são cozidos ou esmagados.

20181101000916_0

Alguns especialistas afirmam que nem a medicina coreana nem a medicina ocidental são perfeitas sozinhas. A medicina coreana não pode diagnosticar nem curar doenças como o câncer, enquanto a medicina ocidental muitas vezes produz efeitos colaterais, como o surgimento de super-bactérias devido ao aumento dos níveis de tolerância do uso excessivo de antibióticos.

“O melhor é a cooperação. A medicina coreana contemporânea tem agora uma alta compreensão de vírus e infecções. Também está se desenvolvendo em acupuntura médica com o estudo de anatomia e neurologia”, disse Song.

Na Coreia, um número crescente de médicos de medicina coreana está adotando dispositivos e equipamentos médicos convencionais para tratar com mais eficácia os pacientes. O Hospital Jaseng de Medicina Coreana, um dos maiores hospitais de medicina coreana especializado no tratamento de distúrbios da coluna vertebral, tem instalações de radiologia diagnóstica desde 2005 e também tem médicos convencionais na equipe.

“Para diagnósticos precisos, os médicos em geral diagnosticam um paciente através de uma ressonância magnética e uma máquina de raios-X. E médicos de medicina coreana tratam pacientes com remédios coreanos, como acupuntura ou manipulação de Chuna”, disse um porta-voz do Hospital Jaseng de Medicina Coreana.

A manipulação de Chuna é uma técnica aplicada para restaurar o equilíbrio do sistema músculo-esquelético do corpo, com força corretiva suave sendo aplicada à coluna para restaurar a função do tecido circundante, de acordo com o hospital.

Globalmente, há um movimento entre os médicos ocidentais para adotar a medicina tradicional asiática para tratar doenças de forma mais eficaz. A Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins e o MD Anderson Cancer Center têm um histórico de estabelecer parcerias com clínicas tradicionais de medicina asiática, incluindo o Kyung Hee University Medical Center, o maior centro de medicina tradicional coreana do país.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.