A era pós-COVID-19 está se aproximando, trazendo mudanças para o que as pessoas consideravam “normal”. À medida que o mundo lida com essa doença altamente contagiosa e se prepara para outros possíveis vírus no futuro, os especialistas coreanos em design de interiores imaginam novos modelos de layout e mudanças arquitetônicas para minimizar a propagação de doenças.

Para começar, espera-se que mais pessoas trabalhem em casa, o que exigirá mudanças nos layouts residenciais para que as casas possam acomodar esses novos espaços de trabalho.

As pessoas passarão mais e mais tempo em casa no futuro, com o aumento do home office e aulas on-line“, disse Yoo Hyun-joon, professor da Escola de Arquitetura da Universidade Hongik e chefe da Hyunjoon Yoo Architects. “As casas precisam acomodar mais funções no futuro, o que aumentará a demanda por casas maiores (mais) do que nunca“, disse ele.

Além disso, casas com terraços serão populares porque as pessoas valorizam o ar fresco, de acordo com Yoo.

Como muitos sul-coreanos vivem em apartamentos sem sótãos ou porões, que são opções viáveis ​​para transformar em áreas de trabalho pois são isoladas do resto da casa, pode ser difícil encontrar um espaço para trabalhar em uma unidade habitacional coreana típica.

Já que as pessoas estão trabalhando longas horas em casa, é preciso levar em conta o acesso a uma janela para iluminação e melhor qualidade do ar“, disse a professora Kim Suk-kyung, do Departamento de Arquitetura de Interiores e Ambientes da Universidade Yonsei.

Imagem: Hyunjoon Yoo Architects

Em qualquer lugar onde uma mesa e um computador possam ser posicionados, funciona, seja na sala, no quarto ou na cozinha. Os cômodos precisarão ter várias funções no futuro”, disse ela.

Já existe um layout no mercado que coloca uma mesa de trabalho na área que liga a sala de estar e a cozinha, de acordo com Kim.

As empresas de construção que atendem a clientes particulares preveem uma demanda por saunas domésticas em casas recém-construídas.

As pessoas estão hesitante em ir às saunas públicas por causa do coronavírus. Queremos incluir a sauna privada dentro da casa para que as pessoas possam desfrutar com segurança e usá-la para aumentar a imunidade”, disse Hyun Jung-jae, chefe da equipe de planejamento da Dream Love Housing, uma empresa de construção privada.

Os espaços profissionais também terão que mudar já que os layouts compactados de hoje facilitam a disseminação do vírus e com a popularização do home office, cada vez menos funcionários estarão presentes nos escritórios.

Precisamos considerar se os escritórios precisarão de grandes espaços no futuro. Por exemplo, os EUA estão focados no uso de um espaço menor com eficiência. Mudanças no layout das estações de trabalho podem impedir a necessidade de mudar para um espaço maior para respeitar a distância social ”, disse Kim.

Kim sugeriu revezar as estações de trabalho e elevar as paredes dos cubículos entre as mesas, para que os trabalhadores não fiquem muito próximos.

Outros lugares que sofrerão mudanças na era pós-COVID-19 são locais onde muitas pessoas se reúnem, incluindo escolas, teatros e edifícios religiosos.

Imagem: The Washington Post

Yoo diz que uma escola tem três funções – a entrega de conhecimento, o cuidado de crianças e o fornecimento de espaço para os alunos experimentarem a sociedade. A primeira função está rapidamente entrando online. Embora ele não pense que as escolas físicas vão desaparecer, a necessidade de redesenhar as escolas para se preparar para o futuro será crucial.

Em relação aos cinemas, Kim imagina que os cinemas precisarão ter entradas mais amplas, para que as pessoas não se amontoem em uma área. Além disso, a necessidade de um espaço de transição entre o exterior e o teatro para funcionar como um local para verificar a saúde dos participantes aumentará.

Embora exista uma demanda para que a distribuição de assentos sejam mais afastados para garantir o distanciamento social em futuros cinemas, as principais cadeias multiplex de filmes na Coreia como a CGV ainda não planejaram o layout da era pós-COVID-19,pois precisam lidar com o impacto econômico da pandemia.

Projetos arquitetônicos podem fornecer impressões e mensagens fortes. Nas igrejas, por exemplo, reúnem-se os fiéis em uma grande capela, com todos voltados para uma direção e sentados lado a lado, o que dá uma sensação de unidade. Essa estrutura está sendo atacada com a disseminação do COVID-19, segundo Yoo.

A distribuição tradicional das igrejas mudou muito desde que a Peste Negra surgiu porque as pessoas pararam de se reunir nesses locais. O modo como as igrejas coreanas lidarão com essa situação ainda não foi planejado”, disse Yoo.

Na era pós-COVID-19, a ventilação será enfatizada e os regulamentos serão mais rígidos, de acordo com especialistas.

Ter janelas para ventilação natural ou ventilação mecânica no local será uma obrigação. Há algum tempo, dependemos mais da ventilação mecânica do que da ventilação natural, mas precisamos reconsiderar os ajustes para acomodar a ventilação natural”, disse Kim.

Kim sugeriu uma planta semiaberta como um possível caminho a seguir.

Imagem: The Philadelphia Inquirer

Ter uma planta fechada pode levar a uma ventilação insuficiente, enquanto uma planta completamente aberta pode levar a infecções em massa. Portanto, é ideal uma planta semiaberta, onde um grande espaço é dividido em zonas menores que podem ter a ventilação separada.

As empresas de construção também estão desenvolvendo novos sistemas de filtragem para a era pós-COVID-19. A Lotte Construction desenvolveu um sistema de filtragem e ventilação de ar que pode filtrar a poeira fina e outras substâncias nocivas, e planeja instalá-lo em novos apartamentos e escritórios para atender à demanda por um “ar seguro”.

Além disso, estima-se que materiais antibacterianos, como ligas de cobre, para impedir a propagação de vírus, tenham um papel maior como materiais de construção, e a importância do gerenciamento das instalações virá à tona.

Também se espera que a IoT (internet das coisas)* se torne importante no projeto arquitetônico na era pós-COVID-19.

Os idosos são os mais vulneráveis ​​à propagação do vírus e os especialistas imaginam que o uso da IoT para monitorar a saúde se tornará popular entre os idosos. Além disso, o uso da IoT nas entradas dos prédios para verificar a temperatura dos residentes e visitantes precisará ser mais desenvolvido.

Segundo Yoo, com a IoT, o uso de carros autônomos permitirá o transporte de produtos em túneis subterrâneos, levando a estradas menores no solo. Isso levará a construção de mais parques onde as pessoas podem se reunir e casas maiores, condizentes com a era pós-COVID-19.

As mudanças no design precisam ser acompanhadas pela tecnologia, regulamentos e, mais importante, padrões de estilo de vida, de acordo com especialistas.

Muitas famílias coreanas têm banheiros perto da porta da frente para que as pessoas possam lavar as mãos antes de entrar na casa. No entanto, sem o costume de lavar as mãos ao entrar em casa faz com que esse design não tenha sentido.

Nós vivenciamos a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial, aprendemos uma lição e impedimos a Terceira Guerra Mundial até agora. Se aprendermos com essa disseminação do COVID-19, estaremos melhor preparados para uma próxima pandemia, alterando estilos de vida e designs e assim seremos capazes de impedir uma disseminação logo nos estágios iniciais ”, disse Yoo.

*IoT, ou Internet of Things (internet das coisas) é o termo usado para designar “coisas” que são incorporadas à tecnologia com a intenção de gerar dados, oferecer informações específicas e se conectar com outros dispositivos. Sua abrangência vai desde dispositivos residenciais até maquinário de grande porte.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.