A cerimônia de premiação do 92º Oscar foi realizada no Dolby Theatre, em Los Angeles, no domingo (9). Com a presença de renomados cineastas, atores e figuras da indústria cinematográfica, o evento comemorou as realizações cinematográficas de 2019.

Parasita” se foi a estrela da noite, pois se tornou o primeiro filme em língua estrangeira a ganhar o Oscar de melhor filme. Também ganhou três outros prêmios – melhor longa-metragem internacional, melhor diretor e melhor roteiro original.

Parasita” também foi o primeiro vencedor de melhor longa-metragem internacional no Oscar, pois a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas mudou o nome da categoria de “melhor filme em língua estrangeira” este ano para refletir uma abordagem mais positiva e inclusiva de filmes feitos fora de Hollywood.

Imagem: AdoroCinema

A categoria tem um novo nome agora, de melhor língua estrangeira ao melhor longa-metragem internacional“, disse Bong em seu discurso de aceitação. “Estou muito feliz por ser o primeiro destinatário com o novo nome. Aplaudo e apoio a nova direção que essa mudança simboliza.

Conquistando o prêmio de melhor diretor, Bong prestou homenagem a Martin Scorsese, que foi indicado na mesma categoria por “O Irlandês“.

Quando eu era jovem e estudava cinema, havia um ditado que eu gravei profundamente em meu coração, que é ‘o mais pessoal é o mais criativo’. Essa citação veio do nosso grande Martin Scorsese“, disse Bong. “(Na escola), estudei os filmes de Martin Scorsese. Só ser indicado (com ele) foi uma grande honra, nunca pensei que fosse ganhar.

Ele também prestou homenagem ao colega indicado, Quentin Tarantino, dizendo: “Enquanto as pessoas nos EUA não estavam familiarizadas com o meu filme, Quentin sempre colocava meus filmes em sua lista. Eu te amo, Quentin. Tarantino foi nomeado para “Era uma vez … em Hollywood“.

Todd (Philips) e Sam (Mendes), os grandes diretores que admiro, se a Academia permitir, gostaria de pegar uma serra elétrica e dividir o troféu do Oscar em cinco e compartilhar com vocês“, disse o diretor, referindo-se à outros diretores da categoria, respectivamente nomeados para “Coringa” e “1917“.

Bong não esqueceu de mencionar sua esposa. Ao conquistar o prêmio de melhor roteiro original, sua primeira vitória da noite, junto com o corroteirista Han Jin-won, Bong chamou sua esposa de inspiração.

É um trabalho solitário escrever um roteiro de filme. Não estou escrevendo para representar a Coreia, mas é o primeiro Oscar da Coreia do Sul ”, disse Bong.

Depois que “Parasita” foi eleito o melhor filme, o elenco do filme – Song Kang-ho, Lee Sun-kyun, Cho Yeo-jeong, Choi Woo-shik, Park So-dam, Lee Jeong-eun e Jang Hye-jin – compartilhou o triunfo com Bong no palco.

Imagem: Variety

Lee Mi-kyung, vice-presidente da distribuidora CJ Group, e Kwak Sin-ae, a coprodutora e chefe da empresa de produção Barunson E&A, também subiram ao palco.

Sinto que um momento muito oportuno da história aconteceu agora“, disse Kwak no palco com Bong, sugerindo uma frase amada do filme. Kwak é a primeira produtora asiática a ganhar o melhor filme no Oscar.

Outros filmes indicados para melhor filme foram “Ford vs Ferrari“, “O Irlandês“, “Jojo Rabbit“, “Coringa“, “Adoráveis Mulheres“, “História de um Casamento“, “1917” e “Era uma vez … em Hollywood. ”

O filme “Parasita” é uma tragicomédia social, representando a divisão de classes, colocando duas famílias aparentemente semelhantes – famílias unidas e felizes, mas uma rica e outra pobre – na tela.

Desde o seu lançamento no ano passado, o filme tem sido amplamente apreciado em todo o mundo. Ele ganhou o Palme d’Or no Festival de Cannes de 2019, onde estreou, além dos prêmios Golden Globe e Screen Actors Guild no mês passado.

Imagem: AdoroCinema

O filme aclamado pela crítica também provou ser um sucesso de bilheteria, arrecadando 161 milhões de dólares em todo o mundo, inclusive na Coreia – mais de 10 milhões de espectadores assistiram ao filme no país.

Em um evento de imprensa realizado em abril de 2019 em Seul, antes da estreia do filme, Bong disse que não tinha grandes expectativas de ganhar um prêmio com “Parasita“.

Não tenho certeza se os estrangeiros serão capazes de entender esse filme 100%. Existem elementos que apenas um público coreano pode entender completamente ”, disse ele na época. “Mas, é claro, (de outra perspectiva), o filme também pode agradar a todos, independentemente da nacionalidade, já que a questão da pobreza e da riqueza é universal.”

Quase 10 meses desde essa observação, Bong conquistou alguns dos mais prestigiados prêmios da cena cinematográfica internacional.

Bong terminou a noite vitoriosa no domingo, dizendo duas vezes em inglês: “Estou pronto para beber esta noite“.

Dois prêmios que “Parasita” também foi indicado – melhor design de edição e produção de filmes – foram para os editores Michael McCusker e Andrew Buckland de “Ford vs Ferrari”, e a designer de produção Barbara Ling e a decoradora Nancy Haigh de “Era uma vez … em Hollywood”, respectivamente.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.