Presidente Sul Coreano Moon Jae-in e Presidente Norte Americano Donald Trump em reunião na Assembléia Geral das Nações Unidas em 2019 Foto: Saul Loeb/AFP/Getty Images

08O convite inesperado do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no sábado passado, à Coreia do Sul, para a cúpula adiada do G-7 para setembro, juntamente com outros 3 países, sugere o situação elevada da Coreia, mas também é uma faca de dois gumes entre a rivalidade profunda entre Estados Unidos e China, disseram especialistas no domingo.

Eles pediram que Seul elaborasse uma estratégia que não tivesse risco de contrariar sua aliança de segurança com Washington ou os laços econômicos com Beijing (Pequim),  já que a cúpula poderia mudar para uma liderança americana, coligação anti-China.

Chamando o G-7 de “um grupo muito desatualizado“, Trump disse aos repórteres no Air Force One: “Eu estou adiando a reunião porque não acho que o G-7 representa propriamente o que está acontecendo no mundo“.

Coreia, Austrália, Índia e Rússia foram convidadas para participar da cúpula marcada para setembro. Desde 1976, líderes dos EUA, Inglaterra, Alemanha, França, Itália, Canadá e Japão tem realizado anualmente encontros para discutir os desafios da economia global.

O governo irá considerar o assunto com os Estados Unidos“, disse um agente em Cheong Wa Dae, pontuando que não havia sido informado antecipadamente da decisão de Washington.

Presidente dos EUA Donald Trump
Foto: AFP/Yonhap

Faltando apenas um mês para a abertura da cúpula, a mudança dramática de Trump pode simbolizar sua determinação em reduzir a influência chinesa. A Coreia deve estar preparada para fazer seus interesses serem escutados durante a reunião, disseram vários especialistas.

A cúpula irá adiante independente se dissermos sim ou não, então o problema aqui é o que podemos fazer sobre nossa antiga aliança com Washington e nossa estreita relação comercial com Beijing“, disse Choi Kang, vice presidente do Instituto Asan para Estudos Políticos, em uma entrevista via celular.

Eu estou mais inclinado a sugerir que vamos para lá e façamos parte da nova brigada para compensar o crescimento da influência da China, uma preocupação urgente para a Coreia agora“, disse Choi, adicionando que os países na cúpula dificilmente iriam travar um conflito irrecuperável contra a China, como pode estar esperando Trump.

As relações entre os dois vizinhos asiáticos parecem instáveis novamente, já que Beijin fez recentemente um protesto contra Seul sobre sua substituição de baterias antimísseis fabricadas nos Estados Unidos, que Beijing alega terem como alvo o seu continente.

A China disse que era importante que Seul permanecesse em estrita consulta com o novo grupo emergente de grandes potências para que as iniciativas globais sejam acordadas lá, para refletir melhor seus interesses.

É claramente uma coligação anti-China. Trump está convidando até mesmo a Rússia, que sempre quis um lugar na cúpula, para forçar algo entre Moscou e Beijing“, disse Shin Beon-chul, diretor do Centro de Diplomacia e Segurança no Instituto de Pesquisa Coreano para Estratégia Nacional.

No Air Force One, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse a repórteres que adiará a cúpula e convidará a Coréia do Sul, Austrália, Índia e Rússia.
Foto: Reuters/Yonhap

O cúpula do G-20 se tornou uma coligação mais forte após a crise financeira global de 2008. Da mesma forma, a cúpula adiada , solicitada em parte por causa da crise de saúde mundial, pode ser o novo fórum que é convocado periodicamente“, disse o gabinete estratégico do Vice presidente Choi.

Mas alguns especialistas estavam cautelosos com a conclusão, apontando para o calendário lotado dos EUA e o estilo de governo peculiar de Trump.

Seria a cúpula adiada o novo modelo? É difícil dizer, porque Trump terá que ganhar a reeleição para poder fazer sua política durável“, disse Shin.

Leif-Eric Easley, que ensina estudos internacionais na Universidade Feminina de Ewha em Seul, disse: “Nós devemos provavelmente tratar como provisória qualquer tentativa de diplomacia que o Presidente Trump anuncia pelo Twitter ou em declarações despreparadas“.

Outros especialistas dizem que a nova aliança que Trump promoveu pode estar associada aos compromisso de Washington em realinhar as cadeias de suprimentos globais para suprir Beijin, que demonstrou uma ascensão econômica gigantesca.

A Coreia e Índia, potências manufatureiras, foram convidadas para a cúpula”, disse Hwang Ji-whan, um professor de relações internacionais na Universidade de Seul. O G-7, essencialmente o grupo de líderes no setor financeiro global, precisaria de alguém do setor manufatureiro para se opor com mais eficiência à China“, acrescentou Hwang, dizendo que a mudança de Seul e Nova Déli para uma iniciativa anti-China não seria bem-vinda por Beijing, outro gigante manufatureiro na corrida para ampliar sua influência econômica.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.