Organizadores de shows, cinemas, cantores e outros membros do setor cultural estão se preparando para retomar shows, concertos e apresentações suspensas por um longo tempo depois que o governo divulgou um roteiro para um retorno gradual à normalidade durante a pandemia do COVID-19.

De acordo com o roteiro, a maioria das restrições ao coronavírus, como toque de recolher noturno em cafés, restaurantes e outras instalações multiuso, serão eliminadas já que a taxa de vacinação do país ultrapassou a marca-chave de 70%.

Para os setores culturais, o horário comercial de instalações como salas de artes cênicas e cinemas será estendido até a meia-noite a partir das atuais 22h00.

Eventos de grande escala, como shows de K-pop ou comícios de rua serão totalmente permitidos a partir de dezembro, enquanto comer pipoca será permitido nos cinemas a partir deste mês.

Todos os concertos de K-pop normalmente realizados em arenas ou estádios esportivos foram proibidos, pois as atuais regras estritas de distanciamento social exigem que todas as apresentações artísticas ocorram apenas em teatros e salas autorizadas para eventos culturais, como o Centro de Artes de Seul, no sul da capital.

Kang Seung-yoon, um ator coreano, cantor, compositor e líder do grupo Winner, é um dos primeiros cantores que se apresentará para um público em novembro. Seu primeiro concerto solo está programado para o dia 21 no Olympic Hall, no leste de Seul.

A banda de rock Jaurim fará seu primeiro show em três anos no mesmo local no dia 26 de novembro, seguido pelo grupo de hip hop Epik High no dia 17 de dezembro.

O super grupo BTS realizou um concerto longamente esperado em um estádio não identificado em Seul, sem espectadores, que foi transmitido online no mês passado. O grupo irá retomar seus shows da turnê mundial este mês, em Los Angeles.

“É importante que as pessoas pensem que esses shows de K-pop estão protegidos da transmissão de vírus”, disse um funcionário da indústria de K-pop, pedindo anonimato. “Os shows de novembro decidirão o futuro de outros eventos que estão por vir e também da indústria da música pop.”

Setor cultural da Coreia do Sul animado com flexibilização das atividades
Via: The Korea Bizwire

Ao mesmo tempo, programas de televisão, como programas de variedades, voltarão ao formato normal com o público presencial, que foi substituído por risos e aplausos gravados.

Espera-se que as cerimônias de premiação de fim de ano sejam realizadas com estrelas em tapetes vermelhos e aplausos dos espectadores.

Nos cinemas, as exibições vão até a meia-noite, e os cinéfilos totalmente vacinados podem comer pipoca e beber refrigerantes dentro das salas, o que está estritamente proibido há mais de um ano.

“O roteiro do governo trará um grande alívio para a indústria cinematográfica”, disse um funcionário da CJ CGV, uma operadora líder de multiplex. “Alguns distribuidores locais de filmes provavelmente irão corrigir em breve os cronogramas de lançamentos caseiros de grande orçamento para atrair mais pessoas ao cinema.”

A cena das artes performáticas também está arregaçando as mangas para entrar no ciclo otimista.

Com o toque de recolher das 22h sendo estendido, musicais e concertos de música clássica mudarão de programa para ter intervalos mais longos e apresentações de encore.

Artistas estrangeiros de renome, incluindo a Filarmônica de Viena e o pianista e compositor russo Evgeny Kissin, farão suas primeiras visitas a Seul desde o surto do COVID-19.

“Haverá apresentações de artistas estrangeiros e festivais de música sem limitações”, disse Lee Mi-ran da Lotte Foundation for Arts.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

17 + dez =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.