Conteúdo único, velocidade e competição são destaques nos jogos coreanos.

Imagem editada com diferentes personagens de jogos coreanos.
Imagem editada com diferentes personagens de jogos coreanos.

Os videogames contribuíram muito para a economia coreana moderna. O primeiro jogo coreano para videogame foi “Fox Ranger”, um jogo de tiro em primeira pessoa (FPS) lançado em 1987 no Apple II. Dez anos depois, a Coreia teve que passar pelas dificuldades da crise financeira asiática de 1997.

Nos esforços para superar a crise, a indústria de videogames coreana emergiu como o fator chave, levando o país à recuperação. Desde 2000, os jogos de videogame coreanos foram exportados para todo o mundo, até mesmo lançando o que a mídia apelidou de (WAVE K-GAME) “onda K-game”.

Hoje, a Coreia tem uma reputação como um dos principais países produtores de videogames. O sucesso dos jogos coreanos, seja na área de trabalho, console ou smartphones, são impulsionados em grande parte por seu conteúdo exclusivo, que reflete as características do povo coreano. As histórias confundem-se com as das pessoas – sentimento, competição acirrada e ação acelerada.

Histórias que movem o coração

"The war Of Genesis" 1995.
“The war Of Genesis” 1995.

Nos primeiros dias, os videogames coreanos tentavam imitar os videogames produzidos no Japão ou nos EUA. No entanto, eles não eram meramente imitações. Jogos estrangeiros foram usados como referência e os sentimentos coreanos foram integrados a eles. O jogo RPG mais famoso da Coreia é “A Guerra do Gênesis”, lançado em 1995.

A maioria dos videogames se concentrava no crescimento dos personagens principais e contava uma história do bem triunfando sobre o mal. A Guerra do Gênesis, no entanto, acrescentou mais profundidade, com o desenrolar de episódios ligados a diferentes personagens. Os episódios são emocionalmente descritivos o que faz com que os jogadores se identifiquem. A incorporação de elementos de vingança e tragédia nos videogames é derivada do conceito psicológico coreano tradicional de han, um sentimento de opressão e isolamento diante da adversidade. Existem três partes para a série, e o jogo foi muito popular no Japão.

O estilo de contar histórias em videogames coreanos é semelhante ao das novelas coreanas. Tanto videogames coreanos quanto doramas, apresentam emoções delicadas, conflito entre os personagens e um elemento de romance. Isso explica como os videogames coreanos repetiram o sucesso das novelas coreanas entre os consumidores de todo o mundo.

Transformando Crise em Oportunidade

img2-3

A crise financeira asiática de 1997 teve um enorme impacto na sociedade coreana. A reestruturação das empresas deixou muitas pessoas desempregadas e o país viu um aumento no desemprego dos jovens. Os suicídios aumentaram e algumas famílias foram destruídas. Toda a sociedade estava em desespero.

Enquanto isso, para a indústria coreana de videogames, a crise foi uma oportunidade. O governo tentou superar a crise financeira, impulsionando a indústria de tecnologia. Ele concentrou seus recursos na melhoria do acesso à Internet e apoiou as start-ups de videogames.

As empresas fundadas nessa época incluem grandes desenvolvedores de videogames, como a NCsoft e a NEXON. Uma infra-estrutura para os videogames e nesta vibe, muitas “Lan houses” surgiram em todo o país. “Lan houses”, que evoluíram a partir das antigas “arcades” (fliperamas) dos anos 80, embaladas com os mais novos desktops 486 ou Pentium. As pessoas que foram forçadas a deixar seus empregos por causa da crise financeira abririam “Lan houses”.

Jorgar videogame tornou-se uma carreira real. Jogadores profissionais, como Yo-hwan Lim  e Yun-yeol Lee , tornaram-se populares como atletas, dignos de muitos fãs e admiradores. As crianças naqueles dias sonhavam em se tornar jogadores profissionais.

Quando a Coreia se recuperou da crise financeira asiática de 1997, desenvolveu naturalmente o ambiente ideal para os jogos. Com a indústria de videogames atuando como um motor de crescimento econômico, e com o poder de processamento e o acesso à Internet crescendo em conjunto, nasceu o novo gênero de jogos on-line.

Mundo de Jogos Criado pelo Usuário

!Kingdom Of The Winds" base em um quadrinho coreano. O mais velho MMOPRG coreano.
“Kingdom Of The Winds” base em um quadrinho coreano. O mais velho MMOPRG coreano.

Os jogos on-line coreanos, em que os jogadores estão conectados pela Internet e geralmente são jogados em computadores ou consoles, são diferentes dos jogos on-line não coreanos, pois são distribuídos completamente on-line. Os usuários baixam o software em vez de comprar um CD de instalação. O conteúdo em videogames não coreanos é criado por desenvolvedores e consumido pelos jogadores. Para os jogos online coreanos, no entanto, os próprios jogadores determinam a direção do conteúdo. Ou seja, eles têm o poder de criar um novo mundo dentro do jogo.

Ninguém sabe como a história se desenrolará, assim como não sabemos o que acontecerá no futuro. Os jogadores podem se comunicar com outras pessoas dentro do videogame e participar de atividades econômicas e políticas. Eles podem formar “guildas” e competir com os outros enquanto criam sua própria história. Esse chamado “grupismo” também é uma característica fundamental dos videogames coreanos de hoje. Isso é difícil de encontrar em jogos não coreanos, que tendem a ser mais individualistas.

Os jogos online coreanos são consistentes com a inteligência coletiva do povo coreano, como demonstrado na Copa do Mundo da FIFA de 2002 e na Revolução à Luz de Velas de 2016. O jogo “Kingdom of the Winds”, baseado em uma história em quadrinhos coreana (Manhwa), é um jogo ambientado durante os Três Reinos da Coreia (57 aC – 668 d.C.). O jogo não se limita ao enredo original, no entanto, e os jogadores podem unir forças para construir uma história inteiramente nova.

“Lineage”, desenvolvido pela NCsoft, é outro jogo online que representa o “grupismo” do povo coreano.

Guerra Civil Cibernética: Mudando a Forma de contar a História Através de Videogames

Guerra Civil Cibernética
Guerra Civil Cibernética

Esse aspecto de jogo em grupo dos jogos online coreanos deu origem a um novo estilo de contar histórias. Em 2004, uma “cyber civil revolution” aconteceu no mundo dos videogames de “Lineage 2”, um conhecido RPG on-line multiplayer (MMORPG). Dentro do videogame, pessoas de um nível superior desfrutam de maior poder.

Isto levou a jogadores de alto nível, pessoas que jogavam muito, a dominarem jogadores mais fracos. Eles assumiram as chamadas “zonas de caça” e impuseram “impostos” excessivamente altos no mundo dos videogames. Outros jogadores logo ouviram falar sobre isso, consideraram ser abuso e criaram seus próprios perfis de videogame para participar de um protesto online.

Os jogadores de alto nível tentaram dispersar os milhares de manifestantes online, mas no final reconheceram a derrota. Este evento sem precedentes, percebido como um espelho preciso da sociedade, criou uma mudança de paradigma no mundo dos videogames domésticos. É referido como uma “revolução cibernética civil” por muitos meios de comunicação, e até mesmo estudiosos abordaram o episódio como um caso de “história acontecendo em uma sociedade digital”.

Jogos em ritmo acelerado

O vídeo e os jogos on-line coreanos tendem a ser rápidos, pois os jogos em ritmo lento não são populares. Graças à natureza acelerada dos jogos online coreanos, os usuários experimentam uma emoção como nenhuma outra. “Sudden Attack”, um dos jogos online de maior sucesso na Coreia, é um jogo de tiro em primeira pessoa orientado para a velocidade.

Os usuários precisam atacar em segundos após iniciar uma partida e seguir uma linha muito delicada entre a vida e a morte. O ritmo acelerado dos jogos online coreanos atraiu usuários de todo o mundo. “CrossFire”, um sucesso na China continental, é popular por sua ação de franco-atirador em ritmo acelerado. O Dungeon & Fighter, da NEXON, com gráficos simples e combate rápido, ficou em primeiro lugar no mercado do Leste Asiático. “Black Desert”, um MMORPG desenvolvido pela Pearl Abyss, foi um enorme sucesso na Europa devido ao seu alto grau de liberdade e atualizações frequentes.

Os hábitos orientados para a velocidade do povo coreano, que é resultado do rápido desenvolvimento econômico do país, são evidentes na popularidade dos videogames em de ritmo acelerado.

A emoção da competição extrema

img2-6

A competição é divertida e emocionante. Os coreanos adoram jogos que têm intensa competição. Até agora, jogos populares na Coreia têm sido altamente competitivos. De fato, a competição é o que lançou as bases para o desenvolvimento da indústria do videogame como esporte na Coreia.

Com mais jogadores desejando competir, as competições de jogos foram organizadas. No início, as competições de pequenos jogos eram organizadas pelas salas de PC, e isso logo levou a um novo aspecto da indústria de videogames, ou seja, os espectadores assistindo aos profissionais de videogame, os chamados “e-Sports” jogar como uma carreira o que tornou alguns jogadores profissionais em estrelas.

Elementos competitivos também foram integrados em jogos de quebra-cabeças como “Anipang”. Em Anipang, os usuários são classificados de acordo com a rapidez com que resolvem um quebra-cabeça dentro de um limite de um minuto.

“Battlegrounds” do PlayerUnknown, que conquistou o mundo, é um videogame de combate real, baseado em extrema competição. O jogo coloca 100 jogadores uns contra os outros em uma ilha, e o único sobrevivente é o vencedor. Com mais de 50 milhões de cópias baixadas, o jogo impulsionou a reputação global dos videogames coreanos.

Ao longo de sua breve história, os videogames populares têm sido indicadores da dinâmica competitiva da sociedade coreana. A ascensão do e-Sports e a rápida recuperação do país da crise financeira asiática de 1997 podem ser vistas como tendo contribuído para a criação dos videogames competitivos da Coreia.

Um outro começo para jogos móveis

img2-7

Com o advento dos smartphones, os jogadores agora podem desfrutar de videogames em qualquer lugar e horário. Muitos videogames coreanos foram relançados como aplicativos para plataformas de smartphones.

O boom dos jogos de quebra-cabeças foi seguido por jogos mais complexos que se aproximam da qualidade dos jogos de console. Semelhante aos jogos online em seus primeiros dias, os jogos móveis coreanos estão atraindo novos jogadores para o mercado.

Os principais recursos dos videogames coreanos em geral tiveram que ser reavaliados para acomodarem-se no ambiente móvel. “Lineage Mobile”, a versão para smartphone do Lineage, está indo bem fora da Coreia. O jogo “Seven Knights” está sendo desenvolvido para o Nintendo Switch.

No entanto, ainda há algum caminho a percorrer antes que os jogos de smartphones coreanos tenham o mesmo sucesso dos jogos online. O desafio à frente é preservar as características exclusivas dos jogos e vídeos on-line coreanos, adaptando-os às plataformas móveis.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.