Oi gente linda do meu kokoro, eu sei que só faz um mês, mas senhor… Parece que já faz um ano (agora que eu gastei essa piada, acho que não vai dar pra reciclar e fazer de novo no ano novo).

Tanta coisa aconteceu nesse um mês que eu nem sei por onde começar, mas vamos por partes (Como diria Jack, O Estripador… Eu tô com umas piadas de tio do pavê hoje).

Primeiramente, recebemos o resultado do TOPIK que fizemos em julho, e eu finalmente estou livre, porque tirei o tão esperado TOPIK 4, eu só precisava do 3 na verdade, porém…

E também, nesse mês de agosto, mamãe veio aqui me visitar. Mas eu não vou falar muito aqui, porque ela vai dar uma super entrevista sobre a sua experiencia lá na coluna do KP Travel. Então fiquem ligados.

Mas já que essa coluna é para ser tipo sessão da tarde, engraçado porém como uma moral no final do filme, vou contar aqui umas burradas que eu minha mãe fizemos na nossa viagem.

Escadas – Como se já não bastasse a subida da montanha da Dongseo, todos os metrôs na Coreia funcionam na base da escada para transferencias e saídas do metrô, e não tô falando de escada rolante não, aqui é na pernada mesmo. E isso não ajudou nada, quando a gente resolveu vir de trem/metrô, do aeroporto até o hotel. Resumo básico da história, quebramos as malas – todas – de alguma forma.

Olha aí. Falei que não estava brincando...
Olha aí. Falei que não estava brincando…

Mas histórias do metrô não param por aí. A gente desceu na estação errada, pegou o trem na direção errada, altas confusões. Mas o importante é que deu tudo certo no final.

E para terminar a saga sobre trens, no dia que eu fui deixar a minha mãe no aeroporto, tudo correu bem. Porém na hora de voltar, meu Deus, como eu peguei um trem do aeroporto até a estação de trem de Seul, que levava 66 minutos, perdi o trem que eu já tinha comprado para Busan. Mas como esse é um país que funciona, eu consegui o reebolso de 60% do valor. Aí, a infeliz aqui, para economizar dinheiro, resolver pegar o Mugunhwa, que é um trem que vai de Seul a Busan em 5 horas e meia, sendo que o KTX leva 3 horas.

A questão é que niguém me avisou que esse trem, não era um trem, e sim uma espécie de metrô mas que vai balançando pela Coreia toda, até chegar em Busan. Mas tudo bem, porque o importante é que eu cheguei com segurança e de boas.

Mas as tretas não acabam por ai. Antes da minha mãe ir embora, ela veio até a Dongseo comigo, para me ajudar a mudar para o meu novo quarto do dormitório, que me fora designado no dia 17, e até então, era o quarto 1110, no 11° andar. Que é bonito, tem vista, tem até uma varanda – uma amiga minha já morava nesse andar.

Quando fomos mudar para o quarto, ao abrir a porta, me deparo, com 555.000 coisas dentro e me pergunto, por que? Basicamente o quarto tava cheio de coisas aletórias de uma menina chinesa, que está, até agora, na China, visitando a familia. Ela até deixou um bilhete escrito “Por favor, não mexa. Grata“. Ai eu pensei “Ela deve ser a antiga moradora do quarto”. E me mudei para lá provisóriamente, enquanto a minha nova roommate, a Thaty, também brasileira, ficou morando no 7° andar.

Quando eu voltei, fizemos de tudo possivel, para resolver essa situação. E nos madaram ir até o International Office, que é onde se resolve todos os problemas sobre dormitórios. Quando eu cheguei lá, foi que eu descobri a pior coisa.

Eles estavam tendo um problema na verdade, com essa menina, por que ela NÃO ERA a antiga moradora do quarto, mas ela queria morar lá, então ela simplesmente jogou as coisas dela lá, como se estivesse marcando território, que nem um cão.

ELA NÃO ERA NEM A ANTIGA MORADORA DO QUARTO. QUE TIPO DE PESSOA SEM EDUCAÇÃO, JOGA AS COISAS NO QUARTO, PARA TER PRIORIDADE NA ESCOLHA, QUE NEM UM HOMEM DAS CAVERNAS?

E depois de toda essa treta, o International Office, falou que nós não poderiamos mudar as coisas dela para um quarto vazio, porque depois, ela poderia alegar que nós roubamos algo dela e a resposabilidade cairia sobre a escola. Eu fiquei assim bem brava… brava é meio pouco…. Eu fiquei tipo…. tremendamente enfurecida! Mas tudo bem, nós já mudamos para outro quarto, já arrumamos tudo, e está tudo em paz. E, como eu sou da paz, na maioria das vezes, eu escolhi não guardar rancor da menina e simplesmente viver a minha vida.

E essas fora as lições de vida do dia: Não perca seu trem, as vezes o barato sai caro e não guarde rancor das pessoinhas mal educadas.

Um beijo purpurinado a todos.

 


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.