Oi gente linda, tudo bem? A minha vida tá tão corrida que parece que eu não escrevo a um ano. Com as aulas da faculdade começando com tudo, o tempo parece que passa mais rápido, devido a essa correria toda. Mas vamos por partes né?

As aulas já começaram no tranco. As aulas de inglês são demais, meu professor era da marinha, já levou 5 tiros, tem altas histórias da juventude para contar, o que vem muito a calhar, já que nós temos que encontrar com ele uma vez por semana para conversar. Esses encontros servem para treinar o nosso inglês, então os assuntos são bem variados, indo de dieta, filmes, até preconceito. Ele no momento é meu professor preferido.

Depois dele, tem o meu professor de espanhol, cuja a aula é em coreano. Sim, eu estou aprendendo espanhol em coreano. Claro que, pelo fato do português ser tão similar ao espanhol, as aulas estão sendo muito mais fáceis para mim do que para os meus colegas coreanos. Mas as vezes dá uns probleminhas, tipo quando eu sei a palavra em espanhol na prova, sei também a tradução em inglês e português, mas a palavra em coreano não vem nem ferrando. Mas se me serve de consolo, ele é o único professor que consegue pronunciar “Eduarda” da forma correta.

 

Eu num momento “torcedora” com a camiseta da minha faculdade.

Também tenho aula de Desenvolvimento Internacional, com o professor Potter, e pasmem ele não é bruxo, ou britanico. Fiquei decepcionada quando ele abriu a boca e saiu o sotaque americano mais genérico da face da terra. Junto com ele, tem o professor de Economia, o Prof. Rudolf, sim, como a rena de nariz vermelho (Rudolf, the red nose rendeer)… Ele é alemão. Um fofolete de professor, e consegue fazer economia parecer um pouquinho menos massante e complicada.

Entrando na categoria de professores coreanos de novo, tenho mais dois. O professor de Ciência Politica, que fala meio baixo, mas é gente boa. Meu sonho dourado é ele vir para dar aula com um microfone, para eu não ter que ficar que nem uma velhinha falando “O que foi que ele disse?”. E com ele temos também o Dr. Bumsoo Jon… Meu professor de Leitura e Debate em Inglês. Esse é um que parece fofolete, mas ele é bem assustador. Ele foi um que eu tive que pegar no tranco, pois a matéria tem bastante leitura e ele não avisa quando tem lição de casa. A gente tem que ficar de olho no cronograma que ele deu no primeiro dia. Nessa, eu acabei aprendendo isso da pior maneira, quando cheguei na aula sem o artigo redigido e impresso que era para aquele dia. Mas pelo menos eu não estava sozinha, 90% da sala não tinha feito. Ele ficou tão bravo que mandou todo mundo embora. Serviu de um balde de água fria para mim. Agora tô sempre de olho no cronograma, não perco nem uma leitura ou tarefa.

Mas como nem tudo é aula, e a gente precisa ser divertir também, eu entrei para o clube de Lacrosse. Para quem não sabe, Lacrosse é o equivalente ao quadribol no mundo real –  basicamente a gente corre por ai, carregando bastões com redes na ponta, atrás de uma bola para marcar gols. Pode ser um esporte bem violento, como eu aprendi na semana passada, quando uma menina não viu a bola vindo, que bateu com tudo no nariz dela. Não quebrou o nariz, mas sangrou para caramba. Outra coisa, sou a unica estrangeira do time, e como sou a mais alta, elas já me chamam de “Ace”, rio muito com isso. Todas as meninas, tirando as que já eram do time antes, são mais novas que eu, então é “Unnie” pra cá, “Sunbae” pra lá… Mas elas são umas fofas, e eu me sinto muito acolhida por elas, mesmo sendo estrangeira.

Meu time de Lacrosse, também conhecido como KULAX.
Eu e uma das minhas dongsaengs favoritas, a Suyeong.

Também esse mês, fui procurar apartamentos para me mudar com as minhas amigas. É um processo meio complicadinho, especialmente quando são várias pessoas tentando morar juntas. No fim de tudo, eu analisei melhor, e resolvi que vou ficar morando no dorm mesmo o máximo de tempo possível.

Vamos falar a real aqui. Sim, vir estudar na Coreia sempre foi e é o meu sonho. Mas eu quero deixar bem claro aqui para as pessoas que pensam em seguir o mesmo sonho: Não é fácil. Você vai ficar estressado(a) e vai querer desistir, porque é difícil sim, tem bastante pressão sim, mas eu sinto que tudo vale a pena. E nessa vida, a gente não chega a lugar nenhum sem esforço, por isso mantenho sempre o meu moto “milagre é outro nome para trabalho duro“.

É isso pessoal. Vejo vocês mês que vem, vou contar um pouco sobre as provas de meio semestre aqui na KU. As temidas “Midterms”.

Um beijo grande!!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.